Carapaz lidera o Giro: "A cada dia a geral vai-se definindo mais e mais"

Carapaz lidera o Giro: "A cada dia a geral vai-se definindo mais e mais"

O dia de hoje foi de ação dupla para a Bahrain Victorious, em que o jovem Buitrago, que até caiu no arranque da tirada, venceu e "vingou" o segundo lugar no domingo

O ciclista colombiano Santiago Buitrago (Bahrain Victorious) ultrapassou os neerlandeses Gijs Leemreize (Jumbo-Visma) e o fenómeno Mathieu van der Poel (Alpecin-Fenix) para alcançar a vitória na 17.ª etapa da Volta a Itália.

Na luta pela geral, o equatoriano Richard Carapaz (INEOS) foi quinto e ganhou tempo a alguns rivais, incluindo o português João Almeida, que perdeu tempo e caiu fora do pódio, para quarto, a 1.54 minutos. O australiano Jai Hindley (BORA-hansgrohe) é segundo, a três segundos, e o espanhol Mikel Landa (Bahrain Victorious) cedeu para o líder mas subiu a terceiro, a 1.05 minutos.

O dia de hoje foi de ação dupla para a Bahrain Victorious, em que o jovem Buitrago, que até caiu no arranque da tirada, venceu e "vingou" o segundo lugar no domingo passado, enquanto o líder, Mikel Landa, viveu uma experiência agridoce: por um lado entrou no pódio, à "custa" de Almeida, mas por outro perdeu tempo para o líder.

Atrás de Ciccone em Cogne, na última tirada da segunda semana, o colombiano mostrou-se hoje determinado a conseguir a primeira vitória no WorldTour, com um ataque sagaz a caminho de Lavarone que deixou por terra Leemreize, que tinha usado a descida do Vetriolo, feita com mestria, para fazer a diferença.

Outro dos ciclistas hábeis nessa descida foi Mathieu van der Poel, que continua a mostrar que não há impossíveis no livro do bicampeão da Volta a Flandres, já depois de vencer a tirada inaugural e ter sido líder.

O chefe de fila da Alpecin-Fenix tem tentado quase todos os dias ir para a fuga, num terreno montanhoso pouco habitual para si, e tem "honrado" a corrida ao manter a persistência, que hoje quase foi recompensada.

Acabou em 12.º, já depois de ser ultrapassado por Leemreize, que a certo ponto parecia isolar-se para a vitória, e depois por Buitrago, que se juntou a outro jovem neerlandês antes de o deixar para trás com um ataque forte nos últimos quilómetros.

Emocionado, Buitrago agradeceu a família e equipa pela crença e dedicou-lhes o triunfo, que o deixa "muito contente".

Instado a explicar como o conseguiu, destacou como chave ter "mantido a cabeça fria na última subida", na qual conseguiu "galgar" os neerlandeses e atacar, mantendo-se na frente até final.

Após a chegada, Carapaz não "abriu o jogo" em declarações aos jornalistas, mas admitiu que "a cada dia a geral vai-se definindo mais e mais", por isso está "contente de continuar com a "maglia rosa"".

O vencedor do Giro em 2019 sente "boas pernas e confiança" em si mesmo, e na equipa, para o que falta correr, depois de hoje ter ganho tempo a dois rivais, com a exceção de Hindley, que "teima" em não sair de uma distância de poucos segundos da liderança.

Entre a chuva do início do dia e o sol que brindou o pelotão à chegada, foi uma fuga "importante", com nomes como o francês Guillaume Martin (Groupama-FDJ), o neerlandês Thymen Arensman (DSM), o já referido "MVDP", o italiano Giulio Ciccone (Trek-Segafredo) e até o checo Jan Hirt (Intermarché-Wanty-Gobert Matériaux), que vinha da vitória na etapa rainha, na terça-feira.

Com o neerlandês Koen Bouwman (Jumbo-Visma) a amealhar pontos na classificação da montanha, que não parece fugir-lhe, Van Der Poel foi atacando e a imagem do "gigante" a subir o Passo del Vetriolo, de primeira categoria, será uma das que ficarão desta 105.ª edição.

A última subida do dia, Monterovere, decidiu a luta pela etapa a favor de Buitrago, enquanto na geral se definiu o pódio e se "afastou" João Almeida.

O neerlandês Wout Poels trabalhou para a movimentação de Mikel Landa, que levou consigo Carapaz e Hindley, um trio que mostrou ser quem está mais forte, ainda que sem uma clara superioridade de um deles.

Para trás, e de novo a "penar" para limitar perdas, ficou o líder da classificação da juventude, João Almeida, que agora segue em quarto, posição em que terminou a estreia no Giro, em 2020, quando esteve 15 dias como líder da geral.

Quanto aos outros dois lusos em prova, ambos da UAE Emirates, Rui Costa subiu a 41.º na geral, após hoje ser 44.º colocado na tirada, enquanto Rui Oliveira cortou a meta em 119.º, subindo a 145.º.

Na quinta-feira, a 18.ª etapa liga Borgo Valsugana a Treviso em 156 quilómetros, com um traçado menos montanhoso, propício a uma chegada em pelotão compacto.