"Bastava tocar no travão para ir ao chão"

"Bastava tocar no travão para ir ao chão"

O ciclista espanhol da Katusha desistiu da Volta a Itália, na qual era um dos favoritos, devido a uma fratura de três costelas e um dedo.

"Dói deixar o Giro, mas não há outra opção. A estrada estava muito escorregadia e íamos a 60 quilómetros por hora. Bastava tocar no travão para ir ao chão. Mas estes são os riscos que corremos sempre. Estar à frente para lutar pela vitória é o nosso trabalho", lamentou o segundo classificado da prova em 2012.

Em declarações difundidas pela Katusha, "Purito" não culpa a organização da Volta a Itália nem as estradas locais por ter sido forçado a desistir daquele que era o seu principal objetivo desta temporada.

"Depois do acidente subi à bicicleta, mais por determinação, mas rapidamente dei-me conta do problema que tinha, porque custava-me respirar", explicou o catalão, que revelou também que já tinha partido duas costelas na Amstel Gold Race.

"Estou muito dececionado, especialmente depois do rendimento da equipa na terça-feira em Viggiano. Os nove ciclistas da equipa estavam muito preparados para esta prova", completou.

Depois de acabar a sexta etapa, o líder da Katusha foi levado ao hospital de Santa Scolastica, de Montecassino, para submeter-se a vários exames, que revelaram a fratura de três costelas e o dedo polegar da mão esquerda.

"Purito" esteve envolvido numa das quedas finais da etapa, que apanhou também o português André Cardoso (Garmin), que em seis etapas já acumula quatro quedas.