Australianos curiosos sobre a geração pós-Rui Costa

Australianos curiosos sobre a geração pós-Rui Costa
João Santos

Tópicos

WorldTour arranca esta terça-feira e Tiago Machado é um dos favoritos no Tour Down Under, mas os australianos entusiasmam-se com a nova pérola portuguesa

Parte da nova geração do ciclismo português já corre nos antípodas, fazendo na alta temperatura do sul da Austrália os primeiros quilómetros de competição em 2017. Ontem, Ruben Guerreiro, ao serviço da Trek-Segafredo, e José Gonçalves, com a camisola da Katusha, deram as primeiras pedaladas com as novas cores. Ambos subiram ao escalão de topo da modalidade, o WorldTour - no qual Portugal terá este ano oito representantes -, depois de terem brilhado já enquanto emigrantes: José Gonçalves venceu a última Volta a Turquia e Ruben Guerreiro, o mais novo do contingente emigrante - precede, por três dias, Nuno Bico (Movistar) -, já era sondado pelas equipas de topo desde 2015.

Natural de Pegões (Montijo), aos 22 anos e com um faro para provas de um dia, Guerreiro é um vencedor nato - provou-o na Volta a Portugal do Futuro de 2014, seu passaporte para a emigração com a Axeon - e tem um discurso ambicioso e objetivos de carreira específicos. "Quero ganhar a Liège-Bastogne-Liège", disse aos australianos do "Cyclingnews". "Portugal nunca ganhou esta corrida. Rui Costa foi terceiro em 2016, eu quero vencê-la", atirou, tendo a mais antiga das provas chamadas "Monumentos" como objetivo a longo prazo. No palmarés, Guerreiro conta três participações na versão sub-23 da clássica belga, tendo sido terceiro no ano passado, o que o anima.

Na Austrália, o "benjamim" dos emigrantes diz-se em "boa condição". O Tour Down Under, que amanhã se inicia, apresenta, em seis etapas, um percurso seletivo e que lhe agrada. "Vou trabalhar para a equipa e tentar estar na frente durante as subidas", diz, sabendo que na Austrália terá o colombiano Jarlinson Pantano como chefe de fila.

Para o resto do ano, Guerreiro já sabe o que fazer. "Farei o que me pedirem. Com a minha idade, é importante aprender e aproveitar, se tiver oportunidade", diz o jovem, que na equipa americana também tem Alberto Contador e o compatriota André Cardoso.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.