"Não foi um protesto, falei com o Gustavo Veloso e pedi para rever as imagens"

João Matias atrás de Scott McGill

 foto Pedro Correia / Global Imagens

Declarações de João Matias (segundo na etapa) no final da sexta tirada da 83.ª Volta a Portugal em bicicleta, disputada entre Águeda e Maia, no total de 159,9 quilómetros

Sem protesto: "Não foi um protesto, falei só com o Gustavo [Veloso, diretor desportivo] e pedi para rever as imagens só. Acabámos por não fazer protesto nenhum. A verdade é que, por momentos, acreditava que podia passar pela direita e, se calhar, devia ter forçado mais a passagem. Acabei por hesitar um bocado e, nestes momentos de "sprint", quem hesita um minuto que seja, se calhar acaba por pagar caro."

Mérito: "Daqui não quero tirar o mérito da vitória do Scott. Falei com ele que ia rever as imagens só, e depois disse-lhe "parabéns a ti, hoje foste mais forte". Acho que não há contestação possível, as imagens falam por si. Parabéns a ele, está 2-2, e espero que tenhamos mais alguma batalha daqui até ao final."

Lutar: "Seja nas metas volantes, seja na chegada, seja o que seja, até ao fim eu vou lutar por essa camisola. Penso que a luta será entre mim e o Scott. Penso que estamos os dois bem à vontade nos pontos, bem destacados. Só tenho seis pontos de atraso para ele, por isso sem dúvida que a luta vai ser até ao risco final."

Adversário: "O mais bonito disto é que eu já levo duas vitórias, ele leva outras duas. Ele é um adversário excelente, é dos melhores adversários que encontrei na minha carreira desportiva. Acabe como acabe, vamos estar felizes. Tem sido uma guerra bonita".