João Almeida defende-se perante os favoritos num dia com vitória checa

João Almeida parte para a tirada 16 no terceiro lugar

 foto AFP

Três contagens de primeira categoria colocaram à prova os candidatos à vitória no Giro na etapa 16.

Em termos de classificação geral, João Almeida passar a estar a 44 segundos de Carapaz, camisola rosa, mantendo a terceira posição

Hindley em terceiro e Carapaz quarto. Almeida chega em oitavo a 14 segundos do grupo dos favoritos

Aguardamos a chegada dos candidatos à geral

Piso molhado, o que pode ser perigoso na descida

Refira-se que Jan Hirt passou em primeiro na última contagem de primeira categoria e soma os 40 pontos para a classificação da montanha

João Almeida passou no alto com cerca de dez segundos de atraso para Carapaz, Hindley e Landa

Lá na frente, Jan Hirt segue isolado, faltam mais de seis quilómetros para a meta. Arensman a 16 segundos

Ciclista português a sete segundos apenas do reduzido grupo onde segue o camisola rosa

Carapaz passa agora para a frente de Hindley e Landa, mas Almeida está perto

Hindley ataca no momento em que João Almeida colava ao reduzido grupo

Almeida a dez segundos do grupo de Landa, Carapaz e Hindley. Nibali na roda do português

Landa impôe o ritmo, com Carapaz na roda. Almeida um pouco mais atrás, a tentar alcançar Nibali

Confira quem segue no grupo dos favoritos: Wout Poels, Santiago Buitrago, Pello Bilbao, Mikel Landa (Bahrain-Victorious), Richie Porte, Pavel Sivakov, Richard Carapaz (Ineos Grenadiers), Jai Hindley, Emanuel Buchmann (Bora-hansgrohe), Vincenzo Nibali (Astana Qazaqstan), Joao Almeida (UAE Team Emirates) e Domenico Pozzovivo (Intermarché-Wanty-Gobert).

Dez quilómetros para o fim: queda no grupo de Carapaz, onde seguia Almeida. Bilbao foi ao chão, mas sem consequências de maior, embora se atrase alguns segundos

Valverde, Arensman, Carthy e Hirt perseguem Kamna. Almeida segue no grupo de Carapaz, distante da discussão da etapa

Leonard Kamna, ciclista da Bora, destaca-se do grupo da frente

Wout Poels (Bahrain Victorious), Lennard Kämna (Bora-hansgrohe), Hugh Carthy (EF Education-Easy Post), Jan Hirt (Intermarchè-Wanty-Gobert), Alejandro Valverde (Movistar), Thymen Arensman (Team DSM) isolados a 20 quilómetros da meta

Segue-se a última subida do dia: Valico di Santa Cristina

A 28 quilómetros do fim, grupo do camisola rosa está a pouco mais de três minutos dos fugitivos da frente

Pozzovivo reentrou no grupo de Carapaz, Almeida e restantes candidatos à vitória

Ponto da situação a 50 quilómetros da meta:

-Líderes: Arensman, Kaemna, Valverde, Bouwman, Poels, Carthy e Hirt
-Kelderman, G.Martin, S.Yates, Fortunato, Ciccone, Hamilton, Vansevenant 02m06s
-Grupo do camisola rosa: 05m07s
-Pozzovivo (vítima de queda): 06m05s

Nibali destaca-se do grupo dos favoritos na descida

Passagem na primeira categoria do Mortirolo:

1. Koen Bouwman (Jumbo-Visma) 40 pontos
2. Lennard Kämna (Bora-hansgrohe) 18
3. Thymen Arensman (Team DSM) 12
4. Alejandro Valverde (Movistar) 9
5. Hugh Carthy (EF Education-EasyPost) 6
6. Wout Poels (Bahrain Victorious) 4
7. Jan Hirt (Intermarché-Wanty-Gobert) 2
8. Giulio Ciccone (Trek-Segafredo) 1

João Almeida consegue seguir no reduzido grupo dos candidatos à geral

Grupo da frente cresce: Hamilton, Arensman, Valverde, Kamna, Poels, Carthy, Hirt e Bouwman lideram. Ciccone está a 35 segundos, seguem-se Yates, Kelderman, Martin e Fortunato, a 1m05s

Ulissi fica para trás e João Almeida não tem companheiros no grupo dos candidatos à vitória no Giro

Ponto da situação:

-Líderes da etapa: Arensman, Hamilton, Kamna, Valverde, Bouwman e Poels
-Ciccone, Carthy e Hirt a 40 segundos
-Kelderman, Martin, Yates e Fortunato a 50
-Pelotão, onde segue João Almeida, a 5m17s

Wout Poels, Lennard Kamna, Koen Bouwman, Alejandro Valverde, Thymen e Chris Hamilton na frente. Astana de Nibali impõe ritmo no grupo dos favoritos. Estamos na subida do Mortirolo

Sprint intermédio em Edolo:

1. Koen Bouwman (Jumbo-Visma) 12 pontos
2. Alejandro Valverde (Movistar) 8
3. Chris Hamilton (Thymen Arensman) 6
4. Thymen Arensman (Team DSM) 5
5. Wout Poels (Bahrain Victorious) 4
6. Lennard Kamna (Bora-hansgrohe) 3
7. Lorenzo Rota (Intermarché-Wanty-Gobert) 2
8. Dario Cataldo (Trek-Segafredo) 1

Ciclistas do top 10 mantêm-se no grupo principal. Recorde a classificação:

1. Richard Carapaz (ECU/INE) 63 h 06:57.

2. Jai Hindley (AUS/BOR) a 07.

3. Joao Almeida (POR/UAE) 30.

4. Mikel Landa (ESP/BAH) 59.

5. Domenico Pozzovivo (ITA/INT) 1:01.

6. Pello Bilbao (ESP/BAH) 1:52.

7. Emanuel Buchmann (GER/BOR) 1:58.

8. Vincenzo Nibali (ITA/AST) 2:58.

9. Juan Pedro Lopez (ESP/Trek) 4:04.

10. Guillaume Martin (FRA/COF) 8:02.

Destaque para a presença de Formolo na fuga, o que pode ser uma ajuda importante para João Almeida

Eis os ciclistas que seguem na frente: Wout Poels (Bahrain Victorious), Filippo Zana (Bardiani-CSF-Faizanè), Lennard Kämna, Wilco Kelderman (Bora-hansgrohe), Guillaume Martin (Cofidis), Mattia Bais (Drone Hopper-Androni Giocattoli), Hugh Carthy (EF Education-Easy Post), Lorenzo Fortunato (Eolo-Kometa), Jan Hirt, Lorenzo Rota (Intermarchè-Wanty-Gobert), Koen Bouwman (Jumbo-Visma), Sylvain Moniquet (Lotto Soudal), Alejandro Valverde (Movistar), Mauri Vansevenant (Quick-Step Alpha Vinyl), Simon Yates (BikeExchange-Jayco), Thymen Arensman, Chris Hamilton (Team DSM), Dario Cataldo, Giulio Ciccone (Trek-Segafredo) e Davide Formolo (UAE Team Emirates).

Kelderman e Mattia Bais colam-se ao grupo da frente. Está perto a segunda montanha de primeira categoria do dia

Ciclistas da frente com 2m38s de vantagem para os favoritos. Grupo intermédio está a 1m08s

Classificação geral da montanha após a passagem pela primeira categoria do dia:

1.º Koen Bouwman, 127 pontos
2.º Giulio Ciccone, 98
3.º Diego Rosa, 92
4.º Jai Hindley, 62
5.º Richard Carapaz, 56

Estamos na subida ao Coletto di Cadino. São 19 quilómetros de ascensão

"Penso que 30 segundos é uma boa diferença para mim. No contrarrelógio penso que posso recuperar esse tempo", afirmou João Almeida antes da etapa. "Hoje é uma questão de pernas", mencionou.

Fugitivos com 1m29s de vantagem

22 ciclistas na frente da corrida. São eles: Nans Peters (AG2R Citroën), Mathieu Van der Poel (Alpecin-Fenix), Pascal Eeenkhoorn (Jumbo-Visma), Thomas De Gendt, Sylvain Moniquet (Lotto Soudal), Filippo Zana (Bardiani-CSF-Faizanè), Christopher Juul-Jensen, Simon Yates (BikeExchange-Jayco), Guillaume Martin (Cofidis), Natnael Tesfazion (Drone Hopper-ANdroni Giocattoli), Dario Cataldo, Giulio Ciccone (Trek-Segafredo), Lennard Kämna, Wilco Kelderman (Bora-hansgrohe), Lorenzo Fortunato (Eolo-Kometa), Alejandro Valverde (Movistar), Thymen Arensman (Team DSM), Hugh Carthy (EF Education-Easy Post), Mauri Vansevenant (Quick-Step Alpha Vinyl), Jan Hirt, Lorenzo Rota (Intermarchè-Wanty-Gobert), Davide Formolo (UAE Team Emirates) and Wout Poels (Bahrain Victorious)

Cerca de 20 ciclistas seguem com vantagem relativamente ao pelotão. INEOS na frente do grupo principal

Fugitivos apenas com 24 segundos de vantagem. UAE Emirates, de João Almeida, tenta colocar um ciclista na frente

Jonathan Caicedo (EF Education-EasyPost) não iniciou a etapa e é mais uma desistência

Nans Peters (AG2R Citroën), Mathieu Van der Poel (Alpecin-Fenix), Pascal Eeenkhoorn (Jumbo-Visma), Thomas De Gendt (Lotto Soudal), Mark Cavendish (Quick-Step Alpha Vinyl) e Christopher Juul-Jensen (BikeExchange-Jayco) ganharam alguns segundos de vantagem para o pelotão

Primeiros quilómetros, em plano, feitos a alta velocidade e com vários ciclistas que tentam formar uma fuga

Van der Poel ataca logo nos instantes iniciais da tirada

Arranca a etapa, com uma distância de 202 quilómetros

O top 10 após 15 etapas:

1. Richard Carapaz (ECU/INE) 63 h 06:57.

2. Jai Hindley (AUS/BOR) a 07.

3. Joao Almeida (POR/UAE) 30.

4. Mikel Landa (ESP/BAH) 59.

5. Domenico Pozzovivo (ITA/INT) 1:01.

6. Pello Bilbao (ESP/BAH) 1:52.

7. Emanuel Buchmann (GER/BOR) 1:58.

8. Vincenzo Nibali (ITA/AST) 2:58.

9. Juan Pedro Lopez (ESP/Trek) 4:04.

10. Guillaume Martin (FRA/COF) 8:02.

Vejamos o traçado da etapa:

Lúcido, João Almeida reclamou no final da 15.ª etapa por Sivakov lhe ter bloqueado a estrada, impedindo-o de sprintar com Carapaz. O júri decidiu que o equatoriano não tinha direito a dois segundos extra na meta, mas foi notório como a Ineos encara Almeida como um sério rival. “Será a etapa-chave, são 5000 metros de acumulado. Os meus maiores rivais são o João Almeida, o Hindley e o Landa”, diz o líder da corrida, garantindo que se sente “mais forte” do que quando venceu o Giro’19. “Agora vêm as etapas que gosto e estamos bem”, analisou Landa, quarto classificado. “O objetivo é ganhar o Giro. É uma meta minha e da equipa. A etapa é épica”, declara Hindley, segundo.

“Estou onde queria. Sinceramente, fiquei contente por só ter perdido 30 segundos em Turim. Estou na melhor posição e vou tentar seguir os melhores corredores”, analisou o ciclista da UAE que antecipa ataques de longe na subida e na descida do Mortirolo: “A Bahrain pode tentar alguma coisa e o Landa é candidato a isso. Vamos ver se a Ineos tenta evitar que tal aconteça. A Bora também tentará ganhar tempo”.

Na segunda montanha de três do dia, será importante a João Almeida ter Formolo, Rui Costa ou Ulissi com ele, mas se a corrida for muito atacada o português terá uma decisão importante a tomar: ou marca os ataques de Bilbao e Buchmann, que, pela Bahrain e Bora, são sexto e sétimo classificados, ou responde apenas a Carapaz e a Hindley, primeiro e segundo, separados por sete segundos. A luta de hoje é decisiva na luta pelo pódio e os trepadores quererão tirar mais tempo a João Almeida, pois sabem que no último dia o português lhes pode ganhar um minuto no contrarrelógio de Verona.

A 16.ª etapa da Volta a Itália tem semelhanças evidentes com a aquela em que João Almeida perdeu a camisola rosa em 2020. Não é a subida ao Stelvio, de 24 km, mas a ascensão de quase 13 km ao Mortirolo, com médias de 7,7% de inclinação, que mudará o figurino do Giro.