Adriano Quintanilha e o caso W52-FC Porto: "Nas minhas equipas nunca houve um teste positivo"

Adriano Quintanilha e o caso W52-FC Porto: "Nas minhas equipas nunca houve um teste positivo"

Empresário já esperava que todas as análises feitas aos ciclistas tivessem resultados negativos e defende Raúl Alarcón: "Ele ainda está em tribunal!"

Os resultados negativos das análises aos ciclistas da W52-FC Porto, que tiveram de fornecer amostras de sangue e urina na madrugada da operação "Prova Limpa", não surpreenderam Adriano Quintanilha, pois o empresário que patrocina a equipa acreditava na palavra dos seus corredores.

"Ando no ciclismo desde 1989, desde então ajudei muita gente, de corredores a organizações, e desse tempo todo trago uma certeza: nunca um ciclista meu teve um teste positivo confirmado", disse a O JOGO.

A equipa portista ficou recentemente sem os resultados de Raúl Alarcón - e, entre outros, perdeu uma Volta a Portugal para Amaro Antunes e outra para Jóni Brandão -, por anomalias no passaporte biológico, mas Quintanilha também defende o espanhol.

"Se lhe tiraram as duas Voltas foi porque a federação o quis castigar. Ele recorreu, o processo está num tribunal civil da Suíça e, enquanto não existir uma decisão, esse caso não está terminado e não se pode dizer que ele as perdeu", defendeu, considerando que "todo o cidadão deve ter direito a defender-se".

Dizendo-se incomodado por todos os acontecimentos recentes, Adriano Quintanilha quis ainda transmitir uma mensagem: "Peço desculpa a todos os adeptos da equipa, do FC Porto e em particular ao seu presidente, Jorge Nuno Pinto da Costa, por toda esta confusão em que querem meter os nossos ciclistas e da qual não temos qualquer responsabilidade".