Privação de sono: "O grande problema sem solução" da NBA

Privação de sono: "O grande problema sem solução" da NBA

Artigo da ESPN aborda uma situação pouco explorada na modalidade que mas que afeta todos os atletas

Um trabalho da norte-americana ESPN, assinado pelo jornalista Baxter Holmes, aborda o "pequeno segredo sujo que todos conhecem na NBA": a privação de sono. Um problema que afeta todas as equipas e com efeitos notórios no rendimento dos atletas.

"Dormir bem pode marcar a diferença entre um dos melhores jogos da tua carreira e um horrível", admitiu Hassan Whiteside, dos Miami Heat.

A acumulação de jogos e as constantes mudanças de horários obrigam os jogadores a dormir nos aviões e muitas vezes a recorrer à melatonina para induzir o sono. Mas todo o tipo de estratégias que as equipas possam implementar não são suficientes perante uma agenda que obriga dos jogadores a percorrerem 80 mil quilómetros durante 25 semanas. Em média, um atleta entra em campo a cada 2,07 dias.

Ainda de acordo com este trabalho da ESPN, a privação de sono é ainda um tabu na NBA, mesmo que todos saibam que o problema existe e a NBA se esforce para atenuar a situação com alterações de calendário e das condições de voo e maior preocupação com a saúde mental dos basquetebolistas. Também já há especialistas a recolher dados sobre o tema.

"É o grande problema sem solução", disse à ESPN uma fonte da liga norte-americana de basquetebol, enquanto Tobias Harris, outro atleta que participou no artigo afirmou: "Creio que num par de anos a privação de sono vai ser um problema do qual falaremos da mesma forma que se fala das comoções cerebrais na NFL [liga de futebol americano]."