"Quando acabar o contrato penduro as botas"

"Quando acabar o contrato penduro as botas"
Catarina Domingos

Tópicos

Antigo internacional português Carlos Andrade tem somado sucessos desde que voltou a vestir a camisola do Benfica, mas já perspetiva o final de carreira para o fim da época 2015/16.

No Benfica desde 2012/13 - já tinha estado na Luz em 2006/07 e passou depois pelo Gipuzkoa Basket (Espanha) e pelo FC Porto -, Carlos Andrade já festejou 11 títulos desde que voltou a vestir a camisola das águias.

O mais recente, a terceira Taça Hugo dos Santos (além de dois campeonatos nacionais, uma Taça de Portugal, dois Troféus António Pratas e três Supertaças), foi obtido no fim de semana passado, em Oliveira do Hospital, graças a uma grande exibição do extremo, o mais valioso da final frente ao Vitória de Guimarães (73-62), com 13 pontos (nove logo no primeiro período), nove ressaltos e três roubos de bola.

"Estou muito satisfeito, era um dos objetivos traçados desde o início. O troféu é fruto do trabalho que fazemos durante a semana e é mais um para o dinossauro, pois estou no final de carreira e quero ganhar o máximo de títulos possível", afirmou o jogador, que tem contrato com os encarnados até final da época de 2015/16.

O desempenho de Andrade soube-lhe melhor pelo facto de, no ano passado, ter estado de fora da competição por lesão no joelho esquerdo, que demorou mais de dois meses a recuperar, e por ter assistido à final de muletas. "Sei o que o Diogo Carreira e o Carlos Ferreirinho, que estão lesionados, estão a sentir nesta altura. Faz agora um ano que estava aqui com "quatro pernas". Soube-me bem dar um bom contributo, mas estamos todos de parabéns", considerou.

Com 36 anos (faz 37 a 27 de abril), o antigo internacional, figura da geração de ouro do basquetebol português, já teve outro contratempo esta temporada (lesão num músculo adutor da coxa), o que o fez parar mês e meio (entre finais de novembro e meados de janeiro), lamentando as sucessivas lesões sofridas desde que chegou ao Benfica e constatando que a idade começa dar sinais. "Sinto-me bem, mas as coisas já não são como eram antes. Tenho vindo a descobrir que a alimentação e o descanso são muito importantes nesta fase da carreira. Vou ver se consigo acabar o meu contrato com o Benfica para depois pendurar as botas".