Dwight Howard nega ser gay mas conheceu o ódio

Dwight Howard nega ser gay mas conheceu o ódio

Jogador da NBA, em tempos conhecido por Super-Homem, foi acusado de ter ameaçado um transexual que diz ter sido namorado dele. Howard desmente tudo mas diz ter visto outro lado da vida

Dwight Howard apareceu na NBA com a aura dos grandes craques. Venceu de forma espetacular um concurso de afundanços usando uma capa de Super-Homem e passou a ser conhecido como tal. Só que a carreira não tem sido aquilo que prometera. Já mudou de clube várias vezes, mas não teve sucesso em nenhum dos projetos.

Mesmo assim, mantém o estatuto de estrela, para muitos continua a ser aquele que um dia há de confirmar o prometido. Após quase um ano ausente dos pavilhões devido a lesão (omoplata), voltou a ser falado porque um escritor transexual não só afirmou terem sido namorados como garante ter sido ameaçado e assediado sexualmente pelo basquetebolista.

Na época passada, depois de se transferir para os Washington Wizards, Howard enfrentou dois demónios: a lesão e a acusação. O transexual Masin Elije assegura que o jogador, de quem diz ter sido namorado, o havia "ameaçado, manipulado e assediado sexualmente". Elije juntou à denúncia uma série de mensagens via Direct Messenger do Instagram, com as quais tenta demonstrar ter havido uma relação entre ambos.

Tanto Howard como os que o rodeiam tentaram ignorar o caso durante o máximo tempo possível, mas o jogador, após assinar pelos Memphis Grizzlies, acabou por quebrar o silêncio em entrevista à Fox Sports.

"Não sou gay. Porque é que alguém que nunca vi na minha vida pode ter dito tudo isso sobre mim? Ao princípio doeu passar por tudo isto. Doía. Ficava em casa sentado a pensar "não quero voltar a sair daqui" e perguntava-me: "Porquê?"" Estas foram as primeiras palavras de Dwight Howard sobre o assunto.

O jogador diz que teve de lidar com uma situação muito complicada, que lhe deu uma outra ideia da vida: "Vi todo o ódio, ódio em estado puro, de gente que nem sequer conheço. Creio que, no final, tudo isto me libertou, porque percebi como se sente muita gente. Gente que tem medo de ser quem realmente é. Têm medo de dar um passo em frente e ser como são, porque estão assustados por aquilo que os outros possam dizer ou pensar deles. Têm de pôr uma máscara todos os dias. Esta situação fez-me perceber que não quero ser assim, não quero usar nenhuma máscara. Quero ser eu e não ter de calar nada. Quero ser livre."

Poucos minutos depois de a primeira parte da entrevista de Dwight Howard ter sido transmitida, Masin Elije utilizou as redes sociais para garantir que mantém tudo o que disse anteriormente sobre o jogador. Conheceram-se numa festa, tornaram-se íntimos e Howard tinha vergonha de falar dele à família.