China pára de transmitir jogos dos Celtics por comentários pro-Tibete de Kanter

China pára de transmitir jogos dos Celtics por comentários pro-Tibete de Kanter
Redação/H.L.

Tópicos

Segundo a agência Reuters, o bloqueio imposto por Pequim não se limitou apenas à transmissão dos jogos dos Celtics, mas também à pesquisa do nome do atleta na Internet

Os adeptos chineses da NBA ficaram, esta semana, impedidos de assistir aos jogos dos Boston Celtics. A proibição, ordenada por Pequim, deve-se ao facto de Enes Kanter, base da franquia norte-americana, ter criticado o tratamento dado pela China ao Tibete, descrevendo o presidente chinês Xi Jinping como um "ditador brutal".

"Estou aqui para falar sobre o que está a acontecer no Tibete. Sob o brutal domínio do governo chinês, os direitos e liberdades básicas do povo tibetano são inexistentes", afirmou Kanter, num vídeo de dois minutos publicado no Twitter, no qual surgiu com uma camisola com o rosto do exilado líder tibetano Dalai Lama.

Este incidente pode representar perdas avultadas para a NBA, dado que a competição é assistida por muitos milhões de chineses. Aliás, este ocorre após um dirigente dos Houston Rockets ter, em 2019, expressado apoio ao movimento pró-democracia em Hong Kong, o que originou a paragem de transmissão de jogos no país asiático, tendo causado um prejuízo de centenas de milhões de dólares.

Em reação às recentes críticas à presidência de Xi Jinping, feitas por Kanter, o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês, Wang Wenbin, considerou inaceitável a tomada de posição do basquetebolista. "Nunca aceitaremos esses ataques para desacreditar o progresso e desenvolvimento do Tibete", afirmou.

Segundo a agência Reuters, o bloqueio imposto por Pequim não se limitou apenas à transmissão dos jogos dos Celtics. Na passada quinta-feira, o nome do jogador da franquia norte-americana, pesquisado em mandarim, só apresentava um resultado em motores de busca no país asiático.

Confrontado com o caso, Adam Silver, comissário da NBA, afirmou à Imprensa norte-americana que "não está claro se vamos voltar à televisão CCTV [emissora estatal chinesa] este ano [2021]. Até agora, não há indicação de quando os jogos dos Celtics voltarão a ficar disponíveis para visualização por parte dos adeptos chineses.

Em contexto, Pequim tem governado a região ocidental do Tibete desde 1951, altura em que o Exército de Libertação do Povo ter invadido a zona e, dado que considera Dalai Lama um separatista, assumido o controlo duma chamada "libertação pacífica".