ABP quer inquérito sobre agressões a Nuno Marçal

ABP quer inquérito sobre agressões a Nuno Marçal

Associação de Basquetebol do Porto considera estranho "o facto de não estar presente nenhum representante do clube organizador"

A Associação de Basquetebol do Porto (ABP) requereu à federação a abertura de um inquérito às agressões a Nuno Marçal, jogador do Maia Basket Clube, verificadas no sábado à noite em Lisboa. Em missiva dirigida a Mário Saldanha, presidente da Federação Portuguesa de Basquetebol (FPB), a que a agência Lusa teve acesso, a direção associativa portuense estranha "o facto de não estar presente nenhum representante do clube organizador, bem como nenhum elemento da FPB no local onde decorreram os incidentes".

"Os contornos que levaram um grupo de energúmenos afetos ao clube organizador que cobardemente insultaram e agrediram o atleta internacional, Nuno Marçal e a equipa de que faz parte, o Maia Basket Clube, são de total repúdio e de revolta pela forma como, quer física quer psicologicamente, tentaram intimidar todos os elementos daquela comitiva", refere a nota.

Para a direção da ABP, "tais atitudes, pela forma humilhante e provocatória de que foi vítima o Nuno Marçal e o Maia Basket, são graves de mais para passarem em claro". Por isso, "ABP exige que a FPB abra de imediato um inquérito para apuramento dos factos e para que, uma vez mais, a culpa não morra solteira", e termina louvando o comportamento da comitiva do Maia Basket "pela postura cívica demonstrada no decorrer dos lamentáveis incidentes".