Tiago Pereira vence 'meeting' de triplo salto e reforça acesso aos Jogos Olímpicos

Tiago Pereira vence 'meeting' de triplo salto e reforça acesso aos Jogos Olímpicos
Redação com Lusa

Tópicos

Vitória valeu 40 pontos extra para o ranking internacional, pelo que a marca (16,97 metros) permite-lhe somar quase 1.200 pontos nessa tabela e descartar o pior dos cinco resultados

Tiago Pereira, cada vez mais próximo dos 17 metros, venceu o triplo-salto, esta quinta-feira, do 'meeting' de atletismo Cidade de Lisboa, reforçando a sua posição na lista de acesso aos Jogos Olímpicos.

A reunião de atletismo da capital portuguesa destacou-se essencialmente pelas provas de saltos, com Anabela Neto muito próxima de superar os 1,90 metros, na altura, e Carlos Pitra a passar os 5,25 na vara.

Uma vitória na prova valia 40 pontos extra para o 'ranking' internacional, pelo que a marca de Tiago Pereira em Lisboa (16,97 metros) rende-lhe perto de 1.200 pontos nessa tabela e lhe permite 'descartar' o pior dos cinco resultados, que é de 1.142.

Numa semana apenas, com este resultado, o quarto lugar em Montreuil e sobretudo a vitória em Turku, Tiago Pereira fica muito próximo do apuramento olímpico, juntando-se a Pedro Pichardo (qualificado por marca) e Nelson Évora (que na mais recente lista é o segundo a entrar por 'ranking').

Com este salto, Tiago Pereira, atleta de 27 anos e treinado por João Ganço, reforça-se como o quarto português de sempre, depois de Pichardo, Évora e Carlos Calado.

Anabela Neto, grande dominadora do salto em altura nos últimos anos, foi fácil vencedora, 'limpando' todas as fasquias até 1,85 metros, após o que, motivada e sabendo-se em forma, mandou subir para 1,90, o que seria recorde nacional por dois centímetros. Por muito pouco não passou.

Surpreendente foi a vitória de Carlos Pitra, no salto com vara, melhorando o seu recorde pessoal de 5,08 para, 5,25, sendo agora o oitavo português de sempre. O recordista luso, Diogo Ferreira, falhara os três ensaios iniciais a 5,00.

Boa prova do peso masculino, com Francisco Belo a chegar a 20,80 e Tsanko Arnaudov a conseguir a sua melhor marca do ano (tinha 20,25 e fez 20,65), embora tenha sido o seu único lançamento acima dos 20 metros. Com 17,91, Otoniel Badjana superou largamente o recorde pessoal e coloca-se agora como sexto português de sempre.

Nos 100 metros barreiras, o vento (+1,5) fez uma pequena 'trégua', permitindo a Olímpia Barbosa igualar a melhor marca nacional do ano, que já lhe pertencia, com 13,45.