Pedro​​​​​​​ Pichardo abre a época com liderança europeia no triplo salto

Pedro​​​​​​​ Pichardo abre a época com liderança europeia no triplo salto
Lusa

Tópicos

Sem a réplica de Nelson Évora, que preferiu concentrar-se só na preparação olímpica, Pichardo confirmou ser um dos melhores triplistas do mundo

​​​​​​Pedro Pichardo foi a grande figura do primeiro dia dos Campeonatos de Portugal de atletismo em pista coberta, a decorrer em Braga, abrindo a sua época com 17,36 metros, o que lhe dá a liderança europeia da especialidade.

O seu triunfo de hoje é marca de qualificação para os Europeus de Torun, Polónia, no início de março, para os quais também confirmaram o 'passaporte' Auriol Dongmo, no lançamento do peso, e a tripla dos 1.500 metros composta por Isaac Nader, Nuno Pereira e José Carlos Pinto, bem como Carlos Nascimento, novo campeão de 60 metros.

À boleia de outro atleta que confirmou mínimos, o campeão Ricardo dos Santos, Mauro Pereira, segundo nos 400 metros, também assegurou a viagem para Torun. A distância terá ainda uma representante nas provas femininas, Cátia Azevedo.

Sem a réplica de Nelson Évora, que preferiu concentrar-se só na preparação olímpica, Pichardo confirmou ser um dos melhores triplistas do mundo e tornou-se o primeiro europeu acima dos 17 metros este ano, o que o coloca como grande favorito para Torun.

Pichardo esteve muito consistente acima dos 17,30 metros, que passou por três vezes em seis saltos, e ficou a quatro centímetros do recorde nacional de Nelson Évora.

O atleta nascido em Cuba e naturalizado português entra para segundo da lista mundial do ano, só atrás do novo recordista mundial, o burquinês Hughes Fabrice Zongo (18,07), o que por outro lado é excelente indicador para a 'corrida' pelas medalhas olímpicas.

Nos Europeus de pista coberta Portugal tem em Auriol Dongmo outra grande candidata a medalhas, tal tem sido a forma impressionante que tem demonstrado nesta época de inverno.

Hoje, triunfou com 18,91 metros, a confirmar o seu recente recorde nacional de 19,65, melhor marca mundial do ano. A atirar o peso mais longe que o registo de hoje, apenas uma outra atleta, a alemã Christina Schwanitz (19,11).

A final do peso foi de grande qualidade, com Jessica Inchude (18,13), Francislaine Serra (17,39) e Eliana Bandeira (17,35) acima dos 17 metros. Jessica Inchude tem dupla nacionalidade portuguesa e guineense, mas optou por competir internacionalmente pela Guiné-Bissau, pelo que não pode aceder aos Europeus, mesmo com mínimo.

Nos 1.500 metros femininos, os atletas do pódio melhoraram ainda mais o grande nível demonstrado em Pombal, há seis dias, quando fizeram mínimos para Torun.

Isaac Nader (3.41,96 minutos) e Nuno Pereira (3.42,10), ambos sub-23, entram para o top-10 português de sempre e José Carlos Pinto, com 3.42,47, também melhora o seu recorde pessoal.

Nader, que é treinado por Rui Silva, o melhor atleta português de sempre nesta distância, volta à pista no domingo para tentar a 'dobradinha', com os 3.000 metros.

Carlos Nascimento venceu de forma impressiva os 60 metros com 6,68 segundos, confirmando amplamente o 'passaporte' para os Europeus de Torun, enquanto que os outros atletas que já tinham mínimos do ano passado, ou estiveram perto de o fazer, desiludiram.

Esperada era a vitória de Ricardo dos Santos, recente recordista nacional, nos 400 metros, fazendo agora 47,04. Surpresa foi a marca do segundo classificado, 47,48, que leva a que a comitiva para os Europeus aumente.

Quando em forma, Cátia Azevedo não tem rivais nos 400 metros, a nível interno, e hoje foi nova prova disso. É campeã, com 53,69 segundos, o que é mínimo por seis centésimos, mas a meio segundo do seu recorde pessoal.