Justiça italiana absolve Alex Schwazer de acusação por uso de doping

Justiça italiana absolve Alex Schwazer de acusação por uso de doping
Redação com Lusa

Tópicos

Marchador foi castigado, em 2016, com oito anos de suspensão, antes dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, por resultado positivo de doping num controlo surpresa

O Tribunal de Bolzano (norte de Itália) absolveu, esta quinta-feira, o marchador italiano Alex Schwazer, campeão olímpico de 50 km marcha no Pequim2008, das acusações de doping, considerando que as amostras de urina "estavam alteradas".

Segundo a imprensa italiana, o juiz de instrução do Tribunal de Bolzano Walter Pelino mandou arquivar o caso, "por [Scwazer] não ter cometido o facto" e acusou a Agência Mundial Antidopagem e a World Athletics de "produzirem declarações falsas" contra o atleta.

A sentença agora dada sustenta que as amostras de urina de Schwazer "alteraram-se com o objetivo de as tornar positivas e assim desclassificar e desacreditar o desportista, bem como o treinador Sandro Donati".

Segundo o juiz do tribunal italiano, as provas foram modificadas "em algum momento entre Estugarda e Colónia, na Alemanha, onde se demonstrou que havia tubos de ensaio por selar, facilmente manipuláveis".

Schwazer foi castigado, em 2017, com oito anos de suspensão, imediatamente antes dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, por um resultado positivo de doping num controlo surpresa, realizado em janeiro desse mesmo ano.

O castigo impedia-o de ir aos Jogos Olímpicos Tóquio2020, já que a sanção de oito anos, imposta pelo TAS e ratificada em maio do ano passado pelo Tribunal Federal de Lausana, durava até 2024, quando o marchador celebra 39 anos.

Antes deste castigo, Schwazer fora suspenso com três anos e nove meses em 2012, por ter tomado substâncias proibidas em vésperas dos Jogos Olímpicos de Londres. Regressou à competição em abril de 2016, na Taça do Mundo de marcha, disputada em Roma, que venceu com autoridade.