Consagração de Dulce Félix e honra para Hélio Gomes

Consagração de Dulce Félix e honra para Hélio Gomes

Uma medalha de ouro nos 10.000 metros femininos e o quarto lugar nos 1500 metros masculinos, a cinco centésimos do bronze, marcaram a despedida portuguesa da prova.

A última jornada dos Europeus de Helsínquia foi frutuosa para Portugal, com o título de Ana Dulce Félix nos 10.000 metros e ainda várias classificações de atletas lusos até ao oitavo lugar.

Na mesma prova em que Dulce chegou ao ouro, Ana Dias foi sétima, registando-se ainda o surpreendente quarto lugar de Hélio Gomes nos 1.500 metros, enquanto a seleção masculina de 4x100 metros foi sexta e Marcos Chuva sétimo no comprimento.

A surpresa surgiu por parte de Hélio Gomes, numa acidentada corrida de 1.500 metros, com vários toques e algumas quedas. O atleta português quase se viu envolvido numa delas, mas, aguentou-se e, com uma fortíssima reta final, chegou ao quarto lugar, a cinco centésimos do pódio.

Hélio Gomes nem queria acreditar. "Ainda não estou em mim, quarto lugar é fantástico, mas nem desfrutei dele, ainda estou a tomar consciência do que se passou", foi dizendo o atleta do Sporting, quando a corrida terminou.

Apesar do quarto lugar, Hélio Gomes ainda não tem mínimo para os Jogos Olímpicos. "Sei que os valho, mas terei que conversar agora com o meu treinador (Bernardo Manuel) e com o selecionador (José Barros) para ver quais as hipóteses de os fazer".

Marcos Chuva foi sétimo no comprimento, com 7,92 metros (vento:+0,5), com outros ensaios a 7,90 e 7,84 e dois nulos, o segundo dos quais para cima de 8 metros, se fosse válido.

"Estou feliz, tanto mais que foi a minha estreia em Europeus de seniores", começou por referir o atleta do Benfica, que há um ano foi segundo no Europeu de sub-23, mas, passou o inverno a contas com uma pubalgia. "Foi muito difícil o apuramento e, hoje, teria que arriscar tudo e daí os dois nulos. Repito: podem pensar que não, mas estou muito feliz. E ainda por cima estava eu a competir e a Dulce e o Hélio Gomes a fazerem grandes provas", acrescentou.

A seleção nacional masculina repetiu o sexto lugar de Barcelona'2010 na final de 4x100 metros, embora com um tempo bem mais fraco (39,96 segundos) e beneficiando da desistência da Grã-Bretanha e da República Checa.

Arnaldo Abrantes ressentiu-se de um problema no adutor e foi substituído no terceiro percurso por Diogo Antunes. Na eliminatória, a seleção havia conseguido melhor - 39,66 segundos.

No início da última jornada, João Almeida esteve em foco nas meias-finais de 110 metros barreiras, ao bater o recorde nacional com 13,56 segundos, mínimo B para os Jogos Olímpicos, apesar do vento contrário de 1,1 m/s.

Foi quarto na sua série e obteve o 12.º tempo no conjunto. Na outra série, Rasul Dabo foi sétimo, com 13,73 segundos.