Polémica no andebol português acaba em corte de relações institucionais

Polémica no andebol português acaba em corte de relações institucionais
Redação

Tópicos

António Campos tinha acordo com o Vitória de Setúbal mas assinou pelo Águas Santas, que se viu na necessidade de contratar um guarda-redes depois de Nuno Silva decidir deixar de jogar.

A polémica está instalada no andebol. Depois de o Vitória de Setúbal anunciar o guarda-redes António Campos, proveniente do Madeira SAD, como reforço para 2020/21, eis que o guardião assina... pelo Águas Santas.

O emblema sadino emitiu já um comunicado em que exprime a desilusão pelo "desonrar da palavra, ignorando valores como o caráter, a seriedade e a honestidade" do guardião e anuncia o cortar de "relações institucionais com a Associação Atlética de Águas Santas".

Leia o comunicado do Vitória na íntegra:

Na sequência da lamentável atitude de António Campos, guarda-redes que decidiu assinar contrato com a Associação Atlética de Águas Santas depois de ter chegado a acordo com o Vitória Futebol Clube para reforçar a sua equipa de Andebol, importa esclarecer o seguinte:

1. Depois de uma conversa mantida entre as duas partes, foram acertados os contornos do vínculo e António Campos comprometeu-se com o Vitória Futebol Clube para a época 2020/21, enviando, inclusive,toda a documentação solicitada;

2. Foi com total surpresa que, agora, já depois do acordo selado, o jogador decidiu desonrar a sua palavra e tomar outra opção, ignorando valores como o caráter, a seriedade e a honestidade;

3. Ao longo da sua gloriosa história, o Vitória Futebol Clube sempre se regeu por princípios éticos e morais que orientam as relações com atletas, treinadores, dirigentes, adeptos e adversários, algo que, infelizmente, e ao que parece, nem todos os agentes desportivos conhecem;

4. A partir de hoje, o Vitória Futebol Clube cortará relações institucionais com a Associação Atlética de Águas Santas;

5. O Departamento Jurídico do Vitória Futebol Clube pondera, pelas circunstâncias comprovadas, interpor ação judicial, salvaguardando os seus legítimos interesses"