"Podíamos ter feito melhor e não fizemos porque havia muito ruído no pavilhão"

"Podíamos ter feito melhor e não fizemos porque havia muito ruído no pavilhão"

Declarações de Paulo Pereira, selecionador de Portugal, após a derrota com a Noruega (28-34), na terceira e última jornada do Grupo D do Euro'2020.

Jogo: "Quero dar os parabéns à Noruega, que é a vice-campeã do mundo e tem excecionais atletas. Podíamos ter feito um bocadinho melhor. Não fizemos porque havia muito ruído no pavilhão. Provavelmente, esse ruído não permitiu que fizéssemos o jogo que podíamos ter feito. A vida continua e podemos causar mais problemas aos adversários, podemos jogar mais no [sistema tático] sete contra seis, isto se tivermos sete jogadores em campo".

Público: "O público de Trondheim é fantástico. Dá gosto jogar aqui, porque este é um público que percebe andebol. Estou a olhar para a estatística e tivemos 60% de eficácia no remate, ou seja, há coisas que também temos de melhorar. Não estivemos muito bem, além do ruído, eu também não estive bem".

Experiências: "Estou orgulhosíssimo desta gente. Tentámos alternativas, fomos arrojados. Tentámos coisas diferentes, arriscámos, porque se não fizéssemos era pior ainda. Parecia que jogo estava perdido e conseguimos voltar, mas depois, sempre que conseguíamos crescer, voltava a haver muito barulho".

Derrota: "Perder com a Noruega, na Noruega, era um cenário provável. O que não estávamos preparados era chegar aqui com medo, isso é que teria sido um problema. Tentámos, batalhámos, por isso devemos estar orgulhosos".

Dificuldade: "O difícil é mantermos este excelente nível. Vamos continuar a jogar com seleções de topo. Vamos ganhar e perder. Temos de estar muito satisfeitos, quem não sai satisfeito depois de eliminar a França?".

Extremos: "Os extremos têm-nos ajudado de forma extraordinária e hoje não correu bem. Sabíamos que os guarda-redes noruegueses tinham uma eficácia baixíssima na ponta e hoje foi ao contrário. Mas não foi por causa dos pontas que perdemos. O Quintana também não esteve ao seu melhor nível, mas não podemos dizer nada, afinal, é o Quintana. Estamos no meio da tempestade, mas ainda temos a cabeça de fora".