Paulo Jorge Pereira vai atingir marca redonda pela seleção no Mundial

Paulo Jorge Pereira vai atingir marca redonda pela seleção no Mundial
Rui Guimarães

Tópicos

Técnico amarantino, que veio viver para o Porto com um ano de idade, faz esta quinta-feira, no Mundial do Egito, o 47.º jogo oficial pela Seleção Nacional

Jovem, com apenas 38 anos, Paulo Jorge Pereira foi o escolhido para suceder ao sérvio Branislav Pokrajac, de quem tinha sido adjunto, para treinar o FC Porto. Em três épocas, entre 2003/04 e 2005/06 ganhou um campeonato nacional, uma Taça de Portugal e duas Taças da Liga.

Depois, o amarantino, que foi viver para o Porto com os pais, Rosa e Rodrigo, com apenas um ano de idade, decidiu investir na carreira profissional, tendo sido o primeiro técnico português de andebol a fazê-lo, trabalhando, de uma forma geral com grande êxito, em Espanha, Angola, Tunísia e Roménia.

Mestre em Alto Rendimento Desportivo pela na Faculdade de Desporto do Porto, Paulo Jorge Pereira assinou contrato com a Federação de Andebol de Portugal em 2016, indo esta quinta-feira, pelas 19h30, em pleno primeiro jogo do Mundial de 2021, fazer a partida 47 como selecionador nacional. Em 46 jogos, soma 26 vitórias, quatro empates e 16 derrotas.

Mas, mais do que estar quase a chegar aos 50 jogos, o que irá suceder no Egito, Paulo Pereira conseguiu levar Portugal a uma fase final de uma grande competição ao fim de 14 anos - o Campeonato da Europa de 2020, onde alcançou a melhor classificação de sempre, depois do sétimo posto de 2000 -, colocou a equipa neste Mundial e tem praticamente assegurada a qualificação para o Europeu de 2022, liderando o grupo 4 de apuramento, com três vitórias e uma derrota.

Afável, bom conversador, Paulo Jorge Pereira é um líder nato, um motivador por excelência e alguém que é capaz de fazer com que um grupo de jovens atletas acredite naquilo em que praticamente mais ninguém acredita. O sexto lugar no Europeu do ano passado, em que, só na primeira fase, tinha de passar por França, a seleção mais titulada do mundo, e Noruega, uma das organizadores, é disso um dos mais inequívocos exemplos.

Apaixonado por desporto, Paulo Jorge, 55 anos, pratica pádel, tem dois filhos ligados à modalidade - um já treinador e o outro, mais novo, jogador - e, diz quem melhor o conhece, a mulher, Montse Alvarez, com quem vive em Vigo, que até a dormir sonha com jogadas de andebol.