"FC Porto entre os quatro melhores da Europa não é um sonho assim tão louco"

"FC Porto entre os quatro melhores da Europa não é um sonho assim tão louco"
Rui Guimarães

Tópicos

Victor Iturriza falou ao site da Federação Europeia e fez um pouco mais do que a antevisão do jogo desta noite perante o Veszprém.

Sendo uma das quatro equipas que lidera a classificação do grupo B da Liga dos Campeões, a par de Barcelona (Espanha), Veszprém (Hungria) e Kielce (Polónia), todos com duas vitórias e uma derrota, o FC Porto, num pavilhão esgotado, recebe esta noite (19h45) a formação húngara, em partida da quarta jornada.

Este é, de resto, considerado pela EHF (Federação Europeia de Andebol) o jogo da jornada, pelo que o site da referida entidade deu destaque aos dragões e falou com o pivô Victor Iturriza. "Sabemos que o Veszprém é uma equipa forte, no jogo anterior venceu o campeão em título, o Barça. Gosto de olhar para os pivôs do adversário e Blaz Blagotinsek e Andreas Nilsson são dois jogadores muito fortes, dos melhores nesta posição na Europa. A luta vai ser muito dura ", anteviu Iturriza.

As duas equipas também se defrontaram em 2019/20, altura em que o FC Porto sofreu duas derrotas sem contestação (38-28 e 31-24), mas, desta vez, a equipa portuguesa tem mais experiência no plantel. "Não será fácil para mim, mas também não acho que venha a ser fácil para eles, porque nós próprios temos algumas armas poderosas. Defendemos melhor, por isso penso que lhes vamos dar luta ", analisou o jogador português.

Olhando de uma forma mais abrangente para a competição, o pivô de origem cubana fala com clareza das ambições do andebol do FC Porto. "Na minha cabeça, na cabeça do meu treinador e na mente do clube o sonho é, com certeza, classificarmo-nos para a final-four da Liga dos Campeões. Mas sabemos que isso é muito difícil, que há equipas muito boas contra as quais teremos de vencer ", referiu Iturriza, continuando: "O espírito de equipa é muito poderoso e todos estamos a trabalhar forte para o mesmo objetivo, tendo o sonho de chegar a esse palco. No ano passado estivemos tão próximos, contra o Aalborg... Agora temos mais experiência e pensamos que estar lá, entre as quatro melhores equipas da Europa, não é um sonho assim tão louco".

Na conversa com Iturriza, houve ainda tempo para Quintana, falecido em fevereiro. "Ainda uso a camisola dele por baixo da minha e penso sempre nele. Temos uma foto dele no balneário e continuamos a tentar ganhar todos os jogos para ele. É difícil, claro, mas sempre honramos memória dele", concluiu Iturriza.