A ambição portuguesa no Mundial de andebol e a ameaça covid

A ambição portuguesa no Mundial de andebol e a ameaça covid
Rui Guimarães e Carlos Flórido

Tópicos

Portugal começa quinta-feira um Campeonato do Mundo em que tem aspirações elevadas. A prova abre esta quarta-feira, no Egito, já com duas equipas trocadas

O 27.º Campeonato do Mundo de andebol arranca esta quarta-feira, no Cairo, com o Egito-Chile (17h00), jogado à porta fechada e contando para um Grupo G que teve ontem uma inédita mudança de última hora: a República Checa, com 17 jogadores infetados (!), deixou a prova e deu lugar à Macedónia do Norte.

Os Estados Unidos que só tinham 12 jogadores no Egito - 18 elementos da comitiva acusaram positivo e ficaram na Dinamarca, onde a equipa estagiava -, foram trocados à noite pela Suíça. Já Brasil e Cabo Verde terão sete casos de covid-19 nas comitivas e os africanos estavam retidos em Lisboa, mas seguirão para o Egito. Quanto aos portugueses, distantes das notícias deprimentes - e dos focos infecciosos -, aguardam animados pela estreia, esta quinta-feira, frente à Islândia.

"As expectativas são elevadas e visam chegar o mais longe possível", diz Alfredo Quintana, guarda-redes de uma Seleção Nacional que há um ano, no Europeu, foi bem mais longe do que se pensava, sendo sexta. Para o Mundial, o selecionador Paulo Jorge Pereira já falou em discutir medalhas, mas acabou por balizar as metas nos oito primeiros lugares.

Se no Europeu o grupo inicial era difícil, agora passar é "obrigatório" - apuram-se os três primeiros e Portugal tem como adversários Islândia, Marrocos e Argélia. A grande dificuldade virá depois. No Main Round (segunda fase de grupos) os rivais serão Noruega, França e Áustria ou Suíça, esta recrutada à última hora para o lugar dos Estados Unidos. Passando apenas duas equipas, será necessário eliminar um ou dois colossos do andebol atual. E, naturalmente, bater já a Islândia, pois o resultado contará para a segunda fase.

Se a ambição é elevada face à modesta história de Portugal nos Mundiais, onde só esteve três vezes e tem um 12.º lugar como melhor resultado, agora os tempos são outros.

Esta geração de atletas é já a melhor de sempre, depois de no Europeu ter superado a melhor classificação de Portugal, sétimo em 2000, com o espanhol Javier Garcia Cuesta ao leme e Carlos Resende a ser considerado o melhor lateral esquerdo.

Há agora mais jogadores fora do país e em boas equipas - Luís Frade no Barcelona (Espanha); Gilberto Duarte e Alexis Borges no Montpellier (França); Alexandre Cavalcanti no Nantes (França); e João Ferraz, que já fez quatro épocas e meia na Alemanha, no Shur (Suíça) - além de Sporting, mas especialmente o FC Porto, estarem a fazer excelentes figuras nas competições internacionais. A equipa nacional lucra ainda com o "muro" formado pelos cubanos naturalizados na defesa - a Quintana, Daymaro e Borges somou-se Iturriza -, tendo-se elevado a um nível nunca antes visto.

A tudo isto junta-se um treinador de 55 anos muito experimentado, mestre em Alto Rendimento Desportivo, líder nato e motivador por excelência, sendo capaz de fazer os atletas acreditarem no que praticamente mais ninguém acredita.

Os 20 eleitos para o Mundial do Egito

Jogador - Clube - Posição - Idade - AA - Golos - AA - Totais Golos Totais

Alfredo Quintana - FC Porto - GR - 32 - 60 - 9 - 60 - 9

Pedro Portela Tremblay - Fra - PD - 31 - 92 - 303 - 193 - 620

Gilberto Duarte Montpellier - Fra - LE - 93 - 288 - 140 - 426

Vitor Iturriza - FC Porto - P - 30 - 4 - 13 - 4 - 13

João Ferraz Suhr - Sui - LD - 30 - 90 - 154 - 147 - 338

Miguel Martins - FC Porto - C - 23 - 47 - 93 - 121 - 504

Bélone Moreira - Benfica - LD - 30 - 18 - 23 - 98 - 195

Rui Silva - FC Porto - C - 27 - C - 82 - 131 - 194 - 611

Daymaro Salina - FC Porto - P - 33 - 46 - 88 - 46 - 88

Humberto Gomes Póvoa - AC - GR - 43 - 77 - 0 - 115 - 0

Alexis Borges Montpellier - Fra - P - 29 - 32 - 56 - 56 - 32 - 56

Diogo Branquinho - FC Porto - PE - 26 - 44 - 100 - 96 - 194

Alexandre Cavalcanti - Nantes - Fra - LE - 24 - 38 - 36 - 99 - 162

António Areia - FC Porto - PD - 30 - 47 - 134 - 122 - 291

André Gomes - FC Porto - LE - 22 - 21 - 44 - 86 - 302

Leonel Fernandes - FC Porto - PE - 22 - 3 - 3 - 61 - 186

Diogo Silva - FC Porto - LD - 22 - 8 - 8 - 88 - 324

Gustavo Capdeville - Benfica - 23 - GR - 9 - 0 - 40 - 0

Luís Frade - Barcelona - Esp - 22 - P - 23 - 31 - 106 - 270

Fábio Magalhães - FC Porto - 32 - LE - 141 - 292 - 242 - 656

Calendário

Grupo F
Quinta-feira
Argélia-Marrocos 17h00
Portugal-Islândia (RTP 2) 19h30


Sábado, dia 16/01
Marrocos-Portugal (RTP 2) 17h00
Argélia-Islândia 19h30


Segunda-feira, dia 18/01
Portugal-Argélia (RTP 2) 17h00
Islândia-Marrocos 19h30
Main Round


Jogos a 20, 22 e 24 janeiro, com três primeiros do Grupo E (Noruega, Áustria, França e EUA)
Quartos de final 27 janeiro
Meias finais 29 janeiro
finais 31 janeiro