"Ronaldo tem excessivo protagonismo"

"Ronaldo tem excessivo protagonismo"

Antigo selecionador defende que deve ser dado menos protagonismo ao capitão português, declarando que quando há um mau resultado é de Ronaldo que se fala e não da equipa.

Carlos Queiroz foi o convidado do "Diário do Euro", da TVI, e aproveitou para defender que Cristiano Ronaldo não pode ter tanto protagonismo na seleção.

"Quando os grandes nomes se retiraram, como foi o caso de Figo, Rui Costa e outros, ele tornou-se figura central da Seleção Nacional. A abordagem é sempre feita tendo-o como figura central e não deveria ser assim. Deveria ser a equipa, com ele a aparecer do meio dela", afirmou.

"Este excessivo protagonismo faz com que quando não há um bom resultado, não falamos da seleção, mas sim do Ronaldo. Isto não é um jogo de um contra um, mas sim um jogo de equipa. Ronaldo não pode ter todo o protagonismo", continuou.

Na opinião de Carlos Queiroz aproveitou para fazer uma comparação com equipas anteriores. "Tínhamos outras figuras que repartiam o protagonismo. Quando não funcionava o Figo, aparecia o Rui Costa. Neste caso é diferente. Um golo do Bruno Alves não é menos do que um do Ronaldo. Tenho a tese de que quanto mais falamos de Ronaldo, menos equipa temos. Quanto mais falamos da seleção, mais Ronaldo vai aparecer", garantiu.