Iuri está "pronto para rebentar"

Evaldo foi colega do extremo no Moreirense e vê-o "mais que preparado" para entrar logo... no onze da equipa de Alvalade

Ao assinar com Iuri Medeiros até 2022, o Sporting assegurou anteontem o primeiro reforço para atacar 2016/17. E um reforço para levar muito a sério: na opinião de Evaldo, que passou por Alvalade em 2010/11 e 2011/12 e que esta época jogou com o extremo açoriano no Moreirense, Iuri irá pegar de estaca no esquema verde e branco da próxima temporada. "Tem condições para rebentar logo. Ele trabalha há duas épocas para isso, para voltar ao Sporting e consolidar-se de imediato na equipa", salienta a O JOGO o lateral-esquerdo brasileiro.

Esta temporada, Iuri Medeiros foi nome grande no Moreirense. Realizou 34 jogos, 29 dos quais no campeonato, e marcou dez golos (8 na Liga), fazendo ainda dez assistências - foi o jogador dos cónegos com maior participação nos golos da equipa, inclusive à frente do goleador Rafael Martins (16 golos, mas nenhum passe decisivo). No entender de Evaldo, o internacional jovem por Portugal pode até repetir ou mesmo melhorar tais números... de leão ao peito. "O Iuri é um jogador com grande talento, e demonstrou-o nesta época, onde fez grandes jogos contra FC Porto, Benfica e Braga. Consigo vê-lo perfeitamente a chegar ao Sporting e entrar desde logo no onze, tem muita capacidade. Pode jogar no patamar mais alto do futebol em Portugal sem qualquer problema", garante o defesa canarinho.

Curiosamente, também Evaldo passou pelas mãos de Jorge Jesus: em 2008/09, na primeira de duas temporadas que passou no Braga. Agora, o esquerdino acredita que poderia ser Iuri a beneficiar do trabalho do treinador dos leões, assim ele ficasse em Alvalade. "O Jorge Jesus saberá aproveitá-lo bem e retirar dele o melhor, como faz com praticamente todos os jogadores que treina", acredita Evaldo.

Aos 21 anos, Iuri Medeiros regressa assim a uma casa que é a sua desde 2005, quando chegou a Alcochete proveniente do Sporting da Horta, uma das nove ilhas dos Açores. Pelo meio, apenas um ano e meio fora, onde brilhou ao serviço do Arouca, na segunda metade de 2014/15, e esta época no Moreirense. A confiança diretiva nas capacidades do extremo, esquerdino mas que gosta de jogar pela direita e daí fletir para o meio, fica vincada na cláusula de rescisão com que foi blindado: 60 milhões de euros, igualando assim as mais altas do plantel.