Layún deixa a porta aberta

António M. Soares

Para o mexicano é imperial que os azuis e brancos regressem aos títulos, para retomarem o seu lugar, dando os parabéns a Braga e Benfica, porque a rivalidade não pode cegar

Layún partiu ontem de férias sem saber exatamente aquilo que o futuro lhe reserva, mas não escondeu que "gostava de ficar no FC Porto". Os primeiros contactos entre a SAD e o empresário já aconteceram, pelo que o lateral espera por desenvolvimentos. "No FC Porto estou contente, apesar dos momentos difíceis que vivemos durante a época desfrutei muito. Desportivamente tínhamos vontade de conseguir um título. Falhámos. Mas deixo a porta aberta, há que esperar para ver o que o FC Porto decide", comentou. A seleção e a Copa América são o destino de Layún, cuja opção de compra junto do Watford os azuis e brancos têm até ao final do mês para exercer. Por esta altura a SAD tenta negociar abaixo dos 6 milhões de euros estipulados no acordo de empréstimo. "Agora vou concentrar-me na seleção e ficar à espera de notícias sobre o meu futuro. Primeiro é esperar e ver se o FC Porto exerce a opção de compra e aí, pronto, já será um ponto de partida", revelou.
À partida para o México, o jogador não escondeu a frustração pela época que findou com a derrota na final da Taça de Portugal: "Queríamos ganhar a Taça, mas não tivemos sorte, sofremos dois golos e a equipa reagiu com a tarde do André Silva - que é para destacar! Agora só nos resta felicitar o Braga. O FC Porto é que não pode continuar sem ganhar. A ideia que temos é voltar para ganhar a Liga e os objetivos traçados por uma equipa desta hierarquia". No balanço final, Layún vê no Benfica um justo campeão: "Souberam recuperar pontos perdidos. A rivalidade não pode cegar".