Jardim entra na lista e seria para vir já

Jardim entra na lista e seria para vir já

Treinador do Mónaco é um dos desejados para suceder a Julen Lopetegui, faltando saber se tem argumentos para acertar a rescisão do contrato com os monegascos.

Leonardo Jardim está na lista de candidatos ao banco do FC Porto, mas a situação não se apresenta fácil, isto porque, além de ter contrato com o Mónaco, o treinador madeirense tem uma cláusula acertada com o Sporting que o impedia de voltar ao futebol português durante quatro anos, faltando dois anos e meio para esgotar esse prazo que, a não ser cumprido, obrigará a indemnizar os leões. Uma situação que bem poderá passar pelas mãos de Daniel Pereira, advogado do FC Porto, e do próprio Leonardo Jardim.

A possibilidade de ser o escolhido por Pinto da Costa existe há muito e o presidente do FC Porto nunca escondeu a admiração que nutre pelo treinador madeirense. Este parece ser o momento ideal para assinar pelo FC Porto, até porque no Mónaco os problemas sucedem. Segundo O JOGO apurou, a contratação do ex-futebolista Makelele para o cargo de diretor técnico criou mal-estar e hoje, no final da receção ao Ajaccio, a contar para o campeonato francês, a situação será analisada.

O "caso Makelele" pode abrir as portas do Mónaco e facilitar a entrada imediata de Leonardo Jardim no Dragão. O FC Porto quer um treinador que assuma já a equipa e que assine um contrato para a próxima época. A ideia de contratar alguém apenas até final da presente temporada não é do agrado da SAD portista. Foi precisamente por entender que esse não é o melhor caminho que os responsáveis do FC Porto convidaram Rui Barros para treinador interino. O antigo jogador vai orientar a equipa no Bessa, amanhã, e ficará ao comando até que chegue o novo treinador.

O nome de Leonardo Jardim ganhou força ontem, estando praticamente descartados os nomes de André Villas-Boas, Marco Silva e Nuno Espírito Santo. Os dois primeiros também estavam na lista de preferidos dos adeptos do FC Porto, como O JOGO escreveu na edição de ontem, mas tanto o Zenit como o Olympiacos não estão dispostos a abrir mão dos respetivos treinadores. Já Nuno Espírito Santo está livre, depois de deixar o Valência, mas não entra na lista de desejados para suceder a Julen Lopetegui.