Dragões aceleram por Ghazal

Luta pelo trinco do Nacional em vias de cair para o lado do FC Porto. Semana de decisões na SAD, porque a entrada do egípcio deve envolver uma ou duas saídas

O FC Porto não vai desvendar as mudanças com vista à próxima época antes do fecho do campeonato, mas a perda de todos os objetivos competitivos tem acelerado o plano de reestruturação da equipa, há muito em marcha, mas que vai conhecer avanços nos próximos dias. Esta é uma semana de decisões e um dos processos mais adiantados é o de Aly Ghazal, trinco egípcio do Nacional que interessa à SAD e que está em vias de ser reforço para a próxima temporada. A contratação não está fechada, mas, apesar do interesse de outros clubes, o FC Porto é o melhor posicionado para a garantir, sendo que por definir estão as contrapartidas para o Nacional. É que, segundo as informações que os madeirenses têm posto a circular, Rui Alves pede cinco milhões de euros pelo internacional de 22 anos, valor que a SAD portista está renitente em avançar, admitindo discutir a inclusão de jogadores para fazer baixar os custos da operação.

Pretendido também pelo Sporting e alvo de vários sondagens de outros campeonatos, Ghazal está, há já algum tempo, sinalizado pelo FC Porto, que marcou posição. Mas fechar o negócio deve mesmo implicar que um ou dois jogadores percorram o sentido inverso, reforçando o "europeu" Nacional de Manuel Machado. Licá é o alvo preferencial e a SAD estará disponível para o ceder, tendo em conta o protagonismo que perdeu na equipa e as dificuldades que teria para o recuperar na próxima época. Rui Alves estava igualmente interessado em Ricardo, mas esse é um caso distinto, porque o extremo convertível em lateral tem evoluído bastante e é um jogador que os dragões querem segurar. Outra das hipóteses é Tiago Ferreira, central da equipa B que deve estar de saída e possivelmente para a Madeira.

As contrapartidas terão validado em sentido duplo: resolver casos de "excedentários" e permitir baixar o valor por um dos trincos identificados como potenciais sucessores de Fernando. Aly Ghazal foi contratado pelo Nacional no decurso da última temporada, tendo então participado em 11 jogos de campeonato, nove deles na condição de titular. Esta, porém, tem sido a época da total afirmação, com 24 encontros para a I Liga que lhe permitiram ainda estrear-se pela seleção do seu país, em março, num particular contra a mundialista Bósnia (fez os 90 minutos).