"Darwin no FC Porto? Não sei de nada"

"Darwin no FC Porto? Não sei de nada"
André Morais/Hugo Sousa

Efraín Pachón, empresário do avançado colombiano do Santos Laguna, negou a O JOGO haver contactos do FC Porto, conforme dava conta a imprensa mexicana

Darwin Quintero, avançado colombiano do Santos Laguna, de 26 anos, foi ontem notícia por dois motivos: ficou fora da lista de José Pekerman para o Mundial e viu-se envolvido em especulações que o davam a caminho do futebol europeu, e do FC Porto em particular. A Imprensa mexicana fazia eco desse alegado interesse portista, não confirmado por cá. O empresário do jogador, contactado por O JOGO, e com manifesta falta de vontade para conversas demoradas, foi lacónico na reação. "Darwin no FC Porto? Onde está isso?", questionou, algo surpreendido. Informado sobre a proveniência das notícias, Efraín Pachón não se alongou muito no assunto. "Não sei de nada, ninguém me contactou", reagiu.

Figura no clube treinado por Pedro Caixinha, Darwin Quintero tem faro de golo, apesar de ser um avançado de baixa estatura (1,66 metros), sobressaindo por jogar também nas alas (direita e esquerda). É, aliás, o terceiro melhor marcador da história do Santos Laguna, com 89 golos. A dupla com Oribe Peralta, avançado que ontem reforçou o América - e que, curiosamente, deu origem a outra especulação envolvendo os dragões, de que se dá conta na notícia ao lado - fez furor no campeonato mexicano e também na Libertadores, prova em que a equipa de Pedro Caixinha foi afastada recentemente.

"O Santos Laguna teve uma proposta de dez milhões de dólares [cerca de 7 milhões de euros] e recusou", acrescentou Pachón a O JOGO, embora o facto de o clube ter agora saltado da Taça Libertadores possa ter mudado o contexto. Darwin, ainda segundo o representante, tem contrato com o Santos Laguna até dezembro de 2017.

O colombiano começou no Tolima, da Colômbia, e teve uma passagem efémera pelo futebol europeu, na Rússia, ao serviço do Krylia Sovetov. Agora, segundo as mesmas notícias, Darwin estaria tentado a voltar ao futebol europeu e a liga portuguesa surgia como hipótese tentadora. Pedro Caixinha teria passado as melhores referências a emblemas portugueses que foram perguntando por ele.