"Acredito a cem por cento nesta forma de gerir"

"Acredito a cem por cento nesta forma de gerir"

Tema da rotatividade dominou a conferência de lançamento do clássico. Espanhol diz que não se desvia do caminho e que os momentos-chave ainda tardam...

Lopetegui acredita cegamente na gestão que tem feito dos ativos à sua disposição, apesar da perda de quatro pontos nos últimos dois compromissos nacionais. Em vésperas do primeiro clássico em Portugal, em que voltará a mexer no onze, o técnico espanhol defendeu que a melhor estratégia para enfrentar uma época que será "longa e difícil" é ir dando oportunidade a todos para evitar sobrecargas físicas. Na última temporada, por exemplo, o FC Porto fez 27 jogos entre janeiro e abril e já se sabe que só no atual campeonato haverá mais quatro jornadas. Por isso, ao fim de um mês e meio de competição, já utilizou 22 jogadores e só dois não foram titulares.

Estratégia (ou não) para afastar a pressão do jogo de Alvalade, Lopetegui lembrou que ainda é cedo para se decidir alguma coisa no campeonato, mas garante uma equipa que vai procurar dominar o jogo de princípio ao fim.

Ao longo da semana a questão da rotatividade da equipa do FC Porto dominou as análises. É para manter?

-Se considerasse que não é benéfica, por que a faria? Hoje em dia, os plantéis são amplos. No futebol moderno as competições são muito exigentes e longas e entendemos que esta é a melhor maneira de gerir e de tirar proveito de um grupo amplo. Estou encantado com a resposta e a atitude dos jogadores que têm aparecido. Acreditamos a cem por cento nessa forma de gerir o grupo. Em cada jogo elegerei os que achar melhor. Conheço-os melhor do que ninguém, como estão durante a semana, e procuramos eleger sempre os melhores para o bem da equipa. Nesta viagem grande, dura e difícil que é a época precisamos de todos e entendemos que todos nos vão ajudar. E os momentos-chave da época ainda estão longe.

Essa rotatividade também continuará a aplicar-se à baliza?

-Já respondi a isso. Queremos que todos estejam preparados para jogar. No futebol atual, quando menos esperas, aparece uma oportunidade e queremos que todos estejam capacitados. Se jogam é porque achamos que têm capacidade.

Que importância dá ao adversário? Ou vai pensar apenas no FC Porto na hora de escolher o melhor onze?

-Qual é o melhor onze do FC Porto? Temos várias alternativas e tentaremos eleger os onze jogadores que nos possam ajudar mais de início. E depois há as substituições. Vamos escolher a melhor equipa possível para apresentar a nossa candidatura a sermos protagonistas e a fazer um bom jogo diante de um rival que vai exigir o máximo. Respeitamos sempre os adversários, o Sporting é uma equipa grande, com excelentes jogadores e uma grande aquisição para esta época. Mas nós temos a clara intenção de querer ser protagonistas em todos os jogos e isso não vai mudar.

O Sporting vem de uma goleada. Considera que é uma equipa mais segura, melhor do que no início da época?

-Acho que o Sporting é uma equipa equilibrada, com bons jogadores e uma estrutura parecida com a da época passada ao nível de jogadores, com bons reforços. É uma equipa importante e com muitos argumentos. Disso não tenho qualquer dúvida.

Pode revelar alguma coisa sobre a equipa? Marcano, Fabiano e Óliver Torres, por exemplo, serão opção?

-No geral, o plantel está todo bem, apenas algumas coisitas, como sempre. E amanhã [hoje] decidiremos a convocatória e depois o onze. Esses nomes e outros estão preparados, mas há mais opções. Vamos procurar eleger o onze que nos pode ajudar mais.