Salvio procura vingança

Embalado para a melhor temporada, extremo volta ao palco que lhe negou a saída para o Zenit na época passada de olho numa transferência

Se Sporting e Benfica jogam domingo pelo título, Salvio joga ainda mais do que isso. O extremo regressa a Alvalade com um sentimento de vingança, pois foi precisamente no recinto leonino que viu gorar-se a transferência em 2013/14 para o Zenit. Com tudo acordado entre as partes - a troco de 35 milhões de euros -, o negócio ruiu devido à grave lesão sofrida no dérbi a 31 de agosto de 2013, que o afastou dos relvados durante quase seis meses.

Agora, embalado para a melhor época de sempre, com 11 golos em 25 partidas - em 2012/13 apontou 13 em 51 encontros, registando ainda a maior utilização desde que chegou à Europa - o internacional argentino sabe que uma boa atuação no dérbi é fundamental para continuar a mostrar-se aos muitos clubes que o têm na lista de alvos, até porque apesar de o mercado já ter fechado em alguns países há quem ainda possa roubar Salvio a Jorge Jesus. O Zenit é uma dessas equipas, uma vez que André Villas-Boas é um admirador das qualidades do camisola 18, tendo o emblema russo continuado a acompanhar o extremo apesar da anterior operação abortada. E, refira-se, o prazo para transferências na Rússia termina apenas a 27 de fevereiro.

Além de Zenit, também o PSG, que já apresentou uma oferta de 32 milhões de euros no início de 2013/14, não o larga e, depois de ter equacionado a possibilidade de atacá-lo em janeiro, admite tentar a sua aquisição no verão, altura em que deverá proceder a uma reformulação no seu plantel. Mas a lista de pretendentes inclui ainda clubes como o Manchester United, Liverpool, Inter ou AC Milan.

A preferência do craque argentino passa por jogar em Inglaterra, mas este é um cenário complicado, pois não tem presenças suficientes na seleção que lhe permitam garantir com facilidade a licença de trabalho necessária. Por isso, Salvio não fica também indiferente a alguns nomes dos clubes que o desejam.

No clássico com o FC Porto, de 14 de dezembro, Salvio sofreu uma segunda fratura no braço esquerdo (que já tinha partido no final de 2013/14), mas ao contrário do inicialmente previsto regressou à competição menos de um mês depois, a 10 de janeiro, ante o V. Guimarães. Jorge Jesus frisou na altura que foi o próprio jogador a expressar o desejo de sacrificar-se, atuando ainda sem estar a 100 por cento, permitindo-lhe ser mais uma arma para ajudar na luta pelo título, mas também não perder tempo e ritmo, algo importante para terminar a temporada ao nível que estava a demonstrar até então. E bem se pode dizer que o futebolista não se deixou afetar com a paragem, pois nestes últimos cinco jogos marcou três golos e ante o Boavista foi o principal dinamizador do ataque.