Vitinha analisa: "Muita coisa une Ronaldo e Messi"

Vitinha analisa: "Muita coisa une Ronaldo e Messi"

EXCLUSIVO >> Este sábado é dia de Vitinha no jornal O JOGO. O médio da Seleção Nacional e do PSG aborda vários assuntos, com destaque para a seleção

Vitinha faz parte de um lote restrito de jogadores que tem a sorte de jogar ao lado de Cristiano Ronaldo, na Seleção, e de Messi, no PSG. O médio diz que "há muito mais a uni-los do que a separá-los".

O que une e o que separa dois astros como Cristiano Ronaldo e Messi?

-Há muito mais a uni-los do que a separá-los. Cada um tem a sua forma de jogar e as suas características, mas as coisas que os unem são imensas. A vontade de querer sempre mais, independentemente do que já ganharam, é uma delas. Se eu ganhar metade do que eles ganharam, já seria incrível! A vontade de continuar a marcar golos, fazer assistências, grandes jogos, ajudar a equipa... É isso que os define como os melhores de sempre e sou um privilegiado por ter ido a tempo de jogar com os dois.

No balneário da Seleção há a sensação de que este pode ser o último Mundial de Ronaldo?

-Ele saberá melhor do que ninguém qual será a altura certa para acabar. Não é algo que me diga respeito. Não pensamos nisso. Pensamos em ajudá-lo e à Seleção e em fazer o nosso melhor como equipa. Não é algo que esteja presente nas nossas cabeças.

Há outros nomes consagrados na Seleção, como João Moutinho, o Pepe... Como foi jogar com eles depois de tantos anos a vê-los na televisão?

-Foi muito bom. Como disse, nós crescemos a ver esses jogadores na televisão, a vê-los jogar e a servirem de exemplo. De repente, estamos ali ao lado deles, a aprender com eles no dia a dia. Em relação ao João [Moutinho], um médio como eu, já o conhecia do Wolverhampton e foi muito bom reencontrá-lo, mas mesmo com todos os outros que tenho apanhado nas convocatórias tem sido muito bom. Acolhem-me de forma tranquila e tento tirar o maior proveito possível para melhorar.