Três finais perdidas e outros títulos de Portugal, o novo campeão europeu sub-19

Três finais perdidas e outros títulos de Portugal, o novo campeão europeu sub-19

Seleção portuguesa de futebol de sub-19 alcançou o título europeu no escalão.

A seleção portuguesa de futebol de sub-19 alcançou o título europeu no escalão, depois de vencer a Itália, por 4-3, após prolongamento. Pedro Correia, aos 109 minutos, sentenciou o encontro decisivo, no qual Portugal nunca esteve em desvantagem e chegou a estar a vencer por 2-0.

João Filipe, aos 45'+1', e Francisco Trincão, aos 72', deram vantagem à formação comandada por Hélio Sousa, que já tinha conquistado o título de sub-17 com esta geração, mas o suplente Moise Kean, aos 75' e 76', empatou o encontro.

No prolongamento, João Filipe colocou a seleção lusa em vantagem, aos 104', Gianluca Scamacca voltou a empatar, aos 108', um minuto antes de Pedro Correia decidir o encontro.

O título conquistado em Seinajoki junta-se aos três já conquistados pela equipa das quinas, o primeiro referente ao Torneio Internacional de Juniores e os outros dois na categoria de sub-18. Desde que, em 2002, a prova passou a ser de sub-19, Portugal perdeu as finais de 2003, 2014 e 2017.

O primeiro triunfo internacional foi selado com uma goleada frente à Polónia, por 4-0, em 8 de abril de 1961, com quatro golos de Serafim, no Estádio da Luz, em Lisboa, numa seleção comandada por David Sequerra e José Maria Pedroto.

Seguiu-se a conquista de 1991, em Espanha, orientada por Agostinho Oliveira, numa final decidida nas grandes penalidades (4-1, depois do empate 1-1 diante da Alemanha, na qual Rui Óscar empatou para a seleção lusa, aos 61' minutos, depois de Frank Gerster ter adiantado os germânicos, aos 34'.

O último triunfo ocorreu há 19 anos, em 26 de julho de 1999, na Suécia, onde Portugal, novamente com Agostinho Oliveira como selecionador, se impôs no jogo decisivo à Itália, por 1-0, graças a um golo do avançado João Paulo, aos 33 minutos, numa final em que a equipa das quinas ficou em inferioridade numérica aos 63, com a expulsão, por acumulação de cartões amarelos, de Carlos Semedo.