"Seleção? O que nos faltava era o coletivo, o que fez de Itália a equipa mais forte da Europa"

"Seleção? O que nos faltava era o coletivo, o que fez de Itália a equipa mais forte da Europa"
Redação

Paulo Fonseca em entrevista ao jornal italiano "La Repubblica".

Que Portugal se apresentará no play-off? "É difícil dizer. Fernando Santos fez um grande trabalho, estamos-lhe todos gratos por ter ganho o Euro'2016. Mas Portugal em alguns momentos não era uma equipa, não lutaram unidos. O que nos faltava era o coletivo, o que fez de Itália a equipa mais forte da Europa. O que vi ao trabalhar em Itália foi a mentalidade dos jogadores italianos. É a mesma mentalidade com que ganhou o Campeonato da Europa: podia vê-lo a partir das qualificações, disse aos meus amigos que a Itália estava entre os favoritos. E desde os primeiros jogos estava convencido de que iria ganhar."

Elevado nível da seleção italiana: "Esperava que tanto Itália como Portugal fossem ao Campeonato do Mundo. A Itália também tem um nível técnico muito elevado. Veja-se Barella: eu teria gostado de o ter em Roma, até falei com ele algumas vezes ao telefone para tentar convencê-lo. Mancini foi capaz de construir um grande coletivo além desta qualidade, algo que não acontece facilmente. Outros têm grande talento, mas não são uma equipa".

Dependência de Cristiano Ronaldo? "Não podemos esquecer que Cristiano [Ronaldo] tem 36 anos de idade. Ele é o melhor marcador da história, criou os jovens com quem jogou. Mas hoje Portugal não é apenas Ronaldo. É um grande finalizador, mas não tem o mesmo poder de explosão, a mesma força no um contra um. Ele é um grande jogador, mas agora há uma geração de jogadores fortes que jogam nos melhores clubes da Europa."