Rolando recorda chamadas da Seleção: "É o maior orgulho da minha carreira"

Rolando recorda chamadas da Seleção: "É o maior orgulho da minha carreira"
Alexandre Dionísio

Tópicos

Declarações de Rolando, internacional português, em entrevista ao site francês SO FOOT.

Nasceu em Cabo Verde, mas decidiu representar Portugal. Porquê? "Quando era jovem e jogava no Belenenses, tinha um colega de equipa que estava na situação oposta. Nasceu em Portugal, mas tinha sido chamado para Cabo Verde. Falou-me da sua experiência e ofereceu-se para me juntar à equipa nacional de Cabo Verde. Eu disse-lhe: 'Se for chamado, irei com orgulho'. Nessa altura não tinha passaporte português e nunca pensei jogar pela Selecção portuguesa. Dois ou três meses depois, fui chamado aos sub-21 de Portugal. Aproveitei a oportunidade e, a partir daí, vi a equipa nacional portuguesa como uma possibilidade para mim. Fui chamado por Cabo Verde após o início das eliminatórias para o Euro sub-21, mas já era tarde demais. Representar o meu país, aquele em que nasci, foi obviamente um sonho de infância, mas uma vez dada a minha palavra à Federação portuguesa, não havia volta a dar".

Defendeu as cores portuguesas no Mundial de 2020 e no Europeu de 2012: "Jogar por um clube é uma grande alegria, mas jogar para a Selecção Nacional num Campeonato do Mundo ou num Euro é algo diferente. É muito especial porque não são apenas os adeptos de um clube que se defende, é todo um país. Às vezes estava no meu quarto a pensar: 'Como cheguei a esta lista de 23 jogadores de um país de milhões?' É o maior orgulho da minha carreira".

Portugal esteve perto de chegar à final do Europeu em 2012, mas caiu nas grandes penalidades contra a Espanha: "Tivemos quase a mesma equipa do que em 2010, era forte e experiente. Sabíamos também que Espanha tinha a melhor equipa de sempre e que seria muito difícil. Mas nós acreditámos sempre. Pensámos que se vencêssemos a Espanha, seríamos favoritos na final [contra a Itália]. Infelizmente, não conseguimos chegar tão longe. Foi difícil para nós, mas saímos de cabeça erguida, fizemos um bom trabalho que constituiu a base do que se tornou realidade quatro anos mais tarde, com o título europeu".

Onde vai chegar Portugal no Mundial de 2022? "Campeões do mundo! (risos) A equipa está na sua melhor forma de sempre. Os jogadores portugueses jogam pelos melhores clubes do mundo, Manchester City, Manchester United, PSG... Existe um equilíbrio perfeito entre jogadores experientes, que sabem como ganhar um jogo e jovens com enorme potencial. A Seleção tem as armas para conseguir um grande Mundial, mas é uma competição que reúne as melhores equipas, por isso, é muito difícil. Em qualquer caso, sonho com este título para Portugal".