"República da Irlanda? Os jogadores nunca saem para ir ver o jogo fora..."

"República da Irlanda? Os jogadores nunca saem para ir ver o jogo fora..."
Redação

Declarações de Fernando Santos em conferencia de Imprensa de antevisão ao jogo de preparação de Portugal frente à República da Irlanda (quarta-feira, 19h45)

Como estão a decorrer os trabalhos e como sente os jogadores? "Normal, dentro daquilo que é o trabalho possível da seleção. Ontem só treinou uma parte, hoje todos, mas apenas 50 minutos porque amanhã vamos jogar. É fácil, todos estão sempre altamente empenhados, motivados, satisfeitos, para representar bem o país, nada se altera, desde sempre, falo principalmente desde que aqui estou. Enorme vontade em representar bem o país, alcançar o que todos desejam e flui com toda a naturalidade."

República da Irlanda: "Amanhã vamos ter um jogo forte contra a Irlanda, que tem a maioria dos jogadores no campeonato inglês ou fora da Irlanda. Não é uma equipa com jogadores desconhecidos, a maior parte deles jogou no fim de semana, são jogadores com competência. Analisámos os jogos que fizeram nos últimos tempos, onde tentaram uma mudança do fio condutor. Fez dois jogos muito fortes contra a Hungria e a Sérvia. Não é uma equipa que jogue claramente só em ação defensiva, os avançados ficam em posição de sair em contra-ataque. Conhecemos essas características e o padrão destas equipas britânicas. Para eles, o jogo nunca termina, em qualquer circunstância, nunca saem para ir ver o jogo fora, estão muito vivos, dão sempre tudo. Compete-nos desmanchar essas questões, tendo o controlo do jogo e posse de bola para encontrar caminhos certos. É preciso velocidade para desmanchar esta equipa e, se fizermos isso bem e estivermos concentrados, organizados, com maior ou menor dificuldade acredito que Portugal vai ganhar. Temos qualidade dos jogadores, mas é preciso sermos equipa."

Não vão ser favas contadas: "Basta olhar para os campeonatos nacionais para perceber que os jogos contra equipas mais ditas pequenas não são favas contadas. E muitos são uma aflição. Hoje não é fácil ganhar a ninguém. Temos de estar ao nosso melhor nível e, se a Irlanda também estiver ao seu melhor nível, temos qualidade para dar a volta ao jogo para o nosso lado."