Liga das Nações: quatro selecionadores, quatro opiniões sobre o VAR

Liga das Nações: quatro selecionadores, quatro opiniões sobre o VAR

Selecionadores participantes na final four da Liga das Nações unânimes no apoio ao uso do videoárbitro.

Os selecionadores participantes na final four da Liga das Nações de futebol, em Portugal, foram unânimes no apoio ao uso do videoárbitro (VAR), informou a UEFA, em comunicado. "A introdução do VAR na Liga das Nações representa um passo em frente para todas as pessoas que amam o futebol e o jogo limpo. O VAR é uma ferramenta fantástica para todos os árbitros, jogadores e treinadores, pelo que se deve alargar a todas as competições da UEFA", afirmou o selecionador português, Fernando Santos, citado pelo organismo que rege o futebol europeu.

Portugal estreia-se na final four frente à Suíça, na quarta-feira, às 19h45, sob arbitragem do alemão Felix Brych. Na outras meia-final da prova, Inglaterra e Holanda defrontam-se quinta-feira, em Guimarães.

Também após a comunicação do chefe da arbitragem da UEFA, Roberto Rosetti, o selecionador inglês, Gareth Southgate, recordou as "experiências positivas com o VAR no Mundial2018", reconhecendo que, "na sua maioria, as decisões relevantes foram acertadas". "O propósito de usar o VAR é ajudar os árbitros, por isso, creio que tem sido uma ajuda. Nunca vamos conseguir um sistema isento de erros, mas as decisões chave, que são claras e óbvias, foram retificadas. E isso, para mim, é positivo", acrescentou Southgate.

Já Ronald Koeman, selecionador holandês e antigo treinador do Benfica, identificou que "o VAR é uma boa ajuda para fazer o futebol mais justo e para que a maioria dos erros sejam corrigidos".

"Se dispomos de meios técnicos para apoiar os árbitros no seu trabalho, devemos fazer deles o melhor uso possível. No entanto, é importante que, no final, seja uma decisão humana e não uma máquina", sublinhou o selecionador da Suíça, Vladimir Petkovic.