"Buffon português" fecha porta a todos na Seleção

"Buffon português" fecha porta a todos na Seleção
Rodrigo Cortez

Tópicos

Desta vez, Rui Patrício falhou um jogo da Seleção e logo na cidade natal. Apesar disso, o dono da baliza de Portugal não foi esquecido pelos conterrâneos, que apostam numa carreira longa do camisola um.

José Sá, Anthony Lopes e Beto estão nesta convocatória a lutar por uma vaga no próximo Mundial, mas sabem ao mesmo tempo que, quanto à titularidade, a questão é outra. Que a baliza da Seleção tem um dono é indiscutível. E o nome dele é, como todos sabem, Rui Patrício. E está para durar, conforme acredita quem o conhece desde que, no Sport Clube Leiria e Marrazes, deu os primeiros passos. "O Rui vai ser como o Buffon. Joga até aos 40 anos ou até mais", afirma Carlos Espírito Santo, roupeiro do principal emblema da pequena localidade situada a cerca de três quilómetros do centro da cidade onde esta noite se disputa o Portugal-Estados Unidos - e que, curiosamente, também deu a alcunha ao guardião, tratado no balneário do Sporting por "Marrazes".

Rui Patrício tem 29 anos, mas se tudo correr como se espera, ainda pode jogar mais cinco ou seis Europeus e Mundiais. Assim o paralelismo com o italiano da Juventus bata certo. "Vai ser outro Buffon. Isso é certinho", garante um dos tios do guardião, atualmente a ajudar no bar do clube, depois de sair do emprego, numa empresa de telecomunicações. Enquanto decorria um treino das camadas jovens do Marrazes, foi conversando com O JOGO. "É um rapaz muito certinho e além disso trabalha muito. Pelo que conheço dele, tem tudo para jogar até aos 40 anos ou até mais do que isso. E para mim até é melhor do que o Buffon. É mais alto, é melhor entre os postes", prossegue Daniel Marques. "E neste momento não vejo na Europa ninguém que esteja ao nível dele", acrescenta. Já Paulo Duarte, diretor da equipa de seniores, comenta: "Em termos de prestígio, este clube ficou a ganhar muito com a passagem do Rui Patrício por aqui. E atualmente muitos miúdos vêm jogar para cá por causa dele."

José Sá tem colega na mira

Os três funcionários do Sport Clube Leiria e Marrazes ouvidos por O JOGO consideram que, de todos portugueses da atualidade, José Sá é o que reúne melhores condições para se afirmar como sucessor de Patrício. "Para mim é o José Sá, que tem estado bem no FC Porto, mas que já no Benfica era muito bom. E tem pinta de guarda-redes", justifica Carlos Espírito Santo. Quanto ao tio de Patrício, Daniel Marques, analisa: "O Sá é muito bom. Vai é ter que esperar uns anitos."