Fernando Santos: "Deixem o Ronaldo em paz, ele não merece"

Fernando Santos: "Deixem o Ronaldo em paz, ele não merece"
Vanda Pinto

Declarações do selecionador português antes do confronto com Marrocos, marcado para sábado (15h00) e referente aos quartos de final do Mundial

Conversa com Ronaldo aconteceu? "Essa conversa aconteceu, mal seria se não tivesse acontecido. Só depois de estarmos no estádio é que anuncio a equipa. Outros treinadores fazem de outra forma, eu faço à minha, sempre fiz isto. Essa conversa tinha de acontecer. Era de justiça elementar nada minha parte. Não faço com todos, não vou dizer que faço, porque não faço, mas o capitão de equipa, alguém que já deu tudo pelo futebol português, pelo seu profissionalismo, por aquilo que ele representa, tinha de ter essa conversa com ele."

Quando foi a conversa e qual foi a reação de Ronaldo? "Aconteceu no dia do jogo depois de almoço, não tive nenhuma conversa antes, domingo, segunda, não tive. A única que tive, a explicar as razões, foi no dia do jogo a seguir ao almoço. Reuni com ele, dei-lhe a conhecer, não escrever no quadro. Expliquei-lhe: 'não estou a contar contigo de início, estou a contar para o jogo, acho que vais ser muito importante'. Achava que o jogo ia ser muito complicado, que a entrada dele ia ser importante para resolver o jogo. O Cristiano não ficou muito satisfeito, como é óbvio. Sempre foi titular, a única vez que não foi, num jogo oficial, foi com a Espanha, e é normal que não tenha ficado muito satisfeito. O contrário seria difícil. É normal. Foi uma conversa perfeitamente normal, perfeitamente tranquila, expus o meu ponto de vista, ele não aceitou de forma simples, que é absolutamente normal, mas foi uma conversa perfeitamente tranquila."

Ronaldo ameaçou deixar a seleção? "Nunca em momento algum me disse a mim que queria sair da Seleção Nacional. Acho que é tempo de pararmos com algumas coisas. Está um bocado na moda apontarmos aquelas coisinhas. Se há exemplo melhor foi o exemplo que ele deu no jogo. Foi ele que deu o grito. Saiu para o aquecimento, saltou nos golos todos, correr para festejar. Na segunda parte, ele e o João Mário a bater palmas. Foi ele que chamou os colegas para ir ao público, e a única coisa que notaram foi que ele saiu sozinho. Deixem o Ronaldo em paz, ele não merece, por tudo o que já fez pelo futebol português, acho que não merece."