Cristiano Ronaldo empresta calor humano à chegada de Portugal a Kiev

Cristiano Ronaldo empresta calor humano à chegada de Portugal a Kiev
Mónica Santos (enviada especial em Kiev)

Tópicos

No conforto do átrio do hotel ou ao vento da noite cada vez mais fria da capital ucraniana, a espera fez-se de telemóvel em punho. Portugal já está em Kiev, para jogar com a equipa de Shevchenko e os adeptos não faltaram a ver Cristiano Ronaldo.

Duas horas ao vento, a sentir na pele a acentuada descida da temperatura da noite de Kiev não abalaram o ânimo de cerca de cinco dezenas de adeptos que, este sábado, esperaram a Seleção Nacional na capital ucraniana, para ver passar Cristiano Ronaldo. A equipa chegou já depois das 22h30 locais, menos duas em Portugal continental.

Depois da vitória sobre o Luxemburgo (3-0), na sexta-feira, em jogo do Grupo B de apuramento para o Euro'2020, em Alvalade, a Seleção Nacional viajou para a Ucrânia, onde na segunda-feira defronta a congénere local. Ambas têm neste jogo a oportunidade de assegurar lugar na fase final: um ponto basta aos de Shevchenko e Portugal tem de vencer e esperar que a Sérvia perca com a Lituânia, mas, essas contas não importam nada, quando tens Cristiano Ronaldo e companhia ali tão perto.

Inicialmente pequeno, o grupo de adeptos cresceu em número e entusiasmo quando a segurança formou um corredor para a passagem dos jogadores e com ele a certeza de que haveria espaço para os saudar - e mais esperança de ver assinada a camisola sete de Portugal.

Dentro do hotel, também se ouvia em surdina o nome do capitão dos campeões europeus: "Cristiano Ronaldo?! Cristiano Ronaldo vem aí?!", admirou-se Liliana. A jovem ucraniana já tinha conhecido o mesmo espanto numa unidade hoteleira do Algarve, contou, rendida a novo encontro "espontâneo".

"Santos", "Semedo" e "Pereira" também são nomes familiares aos adeptos ucranianos, a avaliar pela amostra deste grupo que os viu passar visivelmente gratos pela receção.