"Contra Portugal, os jogadores ganeses tinham sacos de dinheiro no balneário"

"Contra Portugal, os jogadores ganeses tinham sacos de dinheiro no balneário"
Redação

Kwesi Appiah, selecionador do Gana no Mundial de 2014, disputado no Brasil, recorreu às redes sociais para revelar o que aconteceu no jogo frente à Seleção Nacional.

Portugal ficou inserido no grupo H do Campeonato do Mundo do Catar, juntamente com Uruguai, Coreia do Sul e Gana e o resultado do sorteio já originou uma polémica no país africano. Kwesi Appiah, selecionador dos "estrelas negras" no Mundial do Brasil, em 2014, recorreu às redes sociais para expor que, na partida diante da Seleção Nacional, os jogadores ganeses apenas estavam preocupados com o dinheiro.

O técnico de 61 anos contou que "no jogo contra Portugal (vitória lusa por 2-1), os jogadores ganeses tinham sacos de dinheiro no balneário e por isso é que não estavam concentrados". Esta acusação caiu que nem uma bomba entre os jogadores que faziam parte desse elenco e Asamoah Gyan, capitão e principal figura dessa equipa, já veio negar esse episódio: "Sim, ele tinha satélites nos nossos sacos. É sempre necessário encontrar alguém para culpar", apontou.

Na altura, os jogadores da seleção ganesa tinham ameaçado que não defrontariam Portugal caso não recebessem o prémio de presença (no valor de 100 mil dólares) em notas no hotel. Para evitar este conflito, o governo do Gana fez chegar ao Brasil uma delegação do Ministério do Desporto, que transportou os três milhões de dólares a fim de satisfazer a exigência dos atletas. Por essa ocasião, chegou mesmo a ser partilhada uma foto do defesa central John Boye (que fez um autogolo no duelo diante de Portugal) a beijar um maço de notas, precisamente no hotel onde a comitiva estava instalada.