"Até ao Mundial, ninguém sabe o que acontecerá. O plano da Seleção não pode ser fechado"

"Até ao Mundial, ninguém sabe o que acontecerá. O plano da Seleção não pode ser fechado"
Redação

Fernando Santos, selecionador de Portugal, anunciou esta sexta-feira os convocados para os jogos da Liga das Nações: com Espanha, em Sevilha, no dia 2 de junho, seguindo-se Suíça (5) e República Checa (9), ambos no Estádio José Alvalade, e a fechar, novamente, os helvéticos, em Genebra (12).

Crescimento de Rafael Leão e uso na seleção: "Todos falam do Rafael Leão, pelo desempenho no Milan, mas ele já cá está há muito tempo. Esteve nas duas últimas convocatórias. Acreditamos muito na qualidade dele. É outro que parte do zero, tal como todos os outros. Tem forte possibilidades de ser titular na seleção."

Convocatória de consolidação de Otávio e Vitinha: "Respondo que sim. Muito mais que a consolidação de jogadores, é a consolidação de processos [de jogo]. Vamos verificar quais os jogadores que vão corresponder. Não faria sentido não dar continuidade a isso e aos próprios jogadores. Não é fácil estar aqui pela primeira vez. Esses dados também são importantes."

Disputa das Ligas Nações com maior importância: "É importante sempre jogar por Portugal. Esta é uma das provas mais importantes do calendário europeu. Reúne, nas fases de grupo, as melhores seleções da Europa, divididas por três grupos. Temos seis jogos pela frente, mais dois do que no passado. Entraremos para competir e para ganhar. Não se pode encarar de outra maneira. Se vimos os jogadores de vez em quando, temos de aproveitar estas janelas para preparar o futuro. Há uma série de fatores para trabalhar. Mais do que a questão dos jogadores, ninguém tem a noção do que vai acontecer. Há 15 dias, julgava-se que o Rúben Dias iria estar aqui. Até novembro, ninguém sabe o que acontecerá com os jogadores. O plano da seleção não pode ser fechado, limitada a 23 ou 24 atletas."