"Esperem para ver Portugal, Ronaldo superou todos pela mentalidade e Messi não é Jesus Cristo"

Cristiano Ronaldo, capitão da Seleção Nacional

 foto EPA

Gabriel Batistuta

 foto Twitter de Gabriel Batistuta

Gabriel Batistuta falou em entrevista a La Nación e deu a sua visão sobre o que pode acontecer no Mundial do Catar

Gabriel Batistuta foi figura de proa da seleção da Argentina durante anos, goleador imparável que se destacou na Fiorentina, e em entrevista a La Nación deu a sua visão sobre o Mundial do Catar, colocando Portugal entre os favoritos. E também falou de Messi e Ronaldo.

"Existem muitos candidatos. Em Espanha dizem que este ano não lhes pode escapar... Há a Bélgica, a Inglaterra, a Alemanha é a Alemanha e ainda não falámos da França. E ninguém fala de Portugal. Esperem um pouco e verão Portugal. A nossa seleção [Argentina] chega num momento espetacular. Durante muito tempo falámos de Messi. Primeiro, condenámo-nos por pensar que tínhamos Jesus Cristo. É o Messi, sim, mas não é Jesus Cristo, e depois condenamo-lo também. Causámos danos durante um longo período. Agora isso mudou. Messi vai jogar bem este Mundial e não porque poderia ser o último, mas porque tenho a certeza que ele também queria vencer os anteriores. Agora ele tem uma boa equipa. Todos jogamos porque temos um objetivo e o objetivo dele é ser o melhor do Mundo... para sempre. É isso que o move. Ele vai jogar até que o mandem embora, imagino. Eu não o vejo a sair. Bem, chega uma altura que se o físico não te garante mais nada, será por causa da mentalidade", comentou, lançando a ponte para falar de Ronaldo.

"É por isso que Messi e Cristiano Ronaldo são diferentes. A capacidade do Messi ninguém tem. O Cristiano superou toda a gente por causa da mentalidade dele porque, jogar, jogar, muitos jogam como o Cristiano, mas ele tem cabeça, tem ego. Todos nós temos um ego e aquele que não tem ego não faz nada. O Diego [Maradona] tinha um ego e o Pelé seguramente também. São jogadores que juntam tudo: condições físicas, habilidade, caráter, ambição, ego... e destacaram-se. Há muitos que treinam da mesma forma ou até mais, mas não são movidos pela mesma motivação", completou o antigo internacional argentino.