Árbitros de boxe suspensos após controvérsias no Rio2016

Árbitros de boxe suspensos após controvérsias no Rio2016

Os 36 árbitros e juízes de boxe dos Jogos Olímpicos Rio2016 foram esta quinta-feira suspensos preventivamente pela Associação Internacional de Boxe (AIBA), na sequência de várias controvérsias surgidas durante a competição.

Vários lutadores derrotados no torneio olímpico do Rio2016 consideraram terem sido vítimas de más arbitragens e levantaram a hipótese de alguns dos combates terem sido alvo de corrupção e de resultados combinados na esfera das apostas.

"O Rio2016 foi uma prova de 'fogo' para a AIBA, dado que o boxe esteve no centro das atenções, por razões positivas e também por outras menos boas", referiu o presidente do organismo, Wu Ching-Kuo, durante um encontro para analisar o que se passou no Brasil e de preparação para Tóquio2020.

No Rio de Janeiro, pela primeira vez pugilistas profissionais puderem participar nos Jogos Olímpicos -- apesar de apenas três o terem feito -- e a AIBA também aboliu os protetores de cabeça para o setor masculino, no sentido de tornar os combates mais interessantes.

A AIBA considera que estas reformas tinham desfrutado de uma "integração perfeita", mas admitiu que "um pequeno número de decisões no âmbito do debate indicaram que novas reformas tinham que ser ainda tomadas".

Nessa mesma altura, foi decidido que todos os 36 árbitros e juízes que foram utilizados nos Jogos Olímpicos fossem suspensos preventivamente e não dirigissem nenhuma prova até à conclusão da investigação em curso.