Vítor Pereira critica "excessos" dos adeptos e elogia ambiente nos estádios: "Em Portugal..."

Vítor Pereira critica "excessos" dos adeptos e elogia ambiente nos estádios: "Em Portugal..."
Redação

Vítor Pereira esteou-se no campeonato com uma vitória no terreno do Botafogo, de Luís Castro.

O Corinthians iniciou o Brasileirão de 2022 com uma vitória fora, por 1-3, sobre o Botafogo, dando uma boa resposta a algumas críticas feitas pelos adeptos. Nesta semana, inclusive, o guarda-redes Cássio apresentou queixa na polícia e denunciou estar a ser vítima de ameaças nas redes sociais.

Vítor Pereira aproveitou a conferência de Imprensa para condenar esses atos. "A cobrança feita dentro do respeito é importante para mim e para eles. Percebermos que não podemos baixar o nosso nível, representamos muita gente, e muita gente pobre que para ir ao estádio poupa durante a semana, gente a quem falta comida na mesa para ir ao estádio. Conversamos nesse sentido. Deus abençoou-nos a fazer o que gostamos e somos bem pagos para isso. Não podemos esquecer que representamos muita gente, muitos milhões, gente pobre, esse é o espírito em campo. Mas não se pode criticar família, ameaçar mulheres e filhos. Aí já é perder completamente a razão. É uma coisa que espero que não volte a acontecer. Tivemos uma conversa sobre esse assunto, percebemos que temos que focar no trabalho, no que controlamos e deixar as pessoas competentes resolverem esses excessos. Por mais paixão que tenham (os torcedores), eles não podem ir por aí. Podem ir pela cobrança, temos que correr, lutar, essa cobrança eu concordo. Temos que merecer o apoio deles, o resto é caso de polícia", avisou o treinador.

Ainda falando sobre os adeptos, Vítor Pereira elogiou o ambiente nos estádios do Brasil, onde no domingo jogou como visitante.

"Chegamos para jogar contra um Botafogo com 40 mil pessoas em euforia. Em Portugal, só conseguimos isso nos grandes jogos. Aqui já vi várias vezes. O ambiente não é fácil, a competição não é fácil, a sequência de jogos é grande, o espaço entre eles é curto, estou a tentar adaptar-me e a perceber bem as características desta liga para que a equipe se mantenha competitiva e não aconteça como já aconteceu, de chegarmos à meia-final do Paulistão sem capacidade de sermos competitivos", afirmou o português.