Um desabafo de Bruno Fernandes: "Se em Portugal achava que pensava rápido..."

Um desabafo de Bruno Fernandes: "Se em Portugal achava que pensava rápido..."

Antigo jogador do Sporting fala dos primeiros tempos vividos em Inglaterra e da ajuda de Diogo Dalot.

Bruno Fernandes, em entrevista concedida ao Canal 11, falou da intensidade de jogo na Premier League, que nada se compara à do campeonato português. De recordar que o médio português trocou o Sporting pelo Manchester United no mercado de inverno.

"O futebol inglês é muito diferente de todos os outros. Em Portugal normalmente as equipas pequenas fecham-se. Aqui as equipas não se fecham quando vêm jogar a Old Trafford. É indiferente, querem pressionar, arriscar, marcar golos, correr riscos, mesmo sabendo que o United pode recuperar a bola e marcar em contra-ataque", começou por dizer.

NÃO SAIA DE CASA, LEIA O JOGO NO E-PAPER. CUIDE DE SI, CUIDE DE TODOS

"A intensidade é mesmo muito alta. Se em Portugal achava que pensava rápido, aqui tenho de pensar duas vezes mais rápido", atirou.

O português falou ainda da ajuda de Diogo Dalot e dos próprios adeptos no processo de adaptação. "[O Diogo Dalot] Ajudou-me bastante, principalmente nos acessos, isto é grande, há códigos nas portas todas, era difícil pedir mais a nível de adaptação. No primeiro jogo ouvi adeptos a cantar o meu nome, a minha música... É algo que te marca, que te ajuda a querer dar cada vez mais e mais, fazer melhor", explicou.