Roma de Fonseca ataca o segundo lugar e recordes

Roma de Fonseca ataca o segundo lugar e recordes
António Pires

Tópicos

A equipa do treinador português joga esta noite o dérbi contra a Lázio na condição de visitante e apresenta números que comprovam a excelente temporada

Em terceiro lugar na Serie A, seis pontos atrás do AC Milan e bem dentro da luta por um lugar na Champions, a Roma de Paulo Fonseca está a realizar uma grande época. Esta noite, às 19h45. joga o dérbi contra a Lázio com dois objetivos: segurar o terceiro lugar e apanhar, à condição, o Inter no segundo lugar.

Os resultados e exibições dos giallorossi tem sido elogiados nesta segunda época do treinador português no emblema italiano e os números e estatísticas merecem realce por comprovarem isso mesmo.

A Roma apresenta mesmo um recorde nas grandes ligas europeias: os 23 golos obtidos nas primeiras partes dos jogos, enquanto os oito até ao primeiro quarto de hora não encontram paralelo entre os rivais na Serie A. Os romanos são também a equipa que cria ocasiões de golo de maior qualidade entre todos os clubes das ligas do top-5 europeu.

Já na Serie A, lidera a par da Atalanta na precisão dos remates (44 %); é segunda na concretização das ocasiões de golo (31 %), juntamente com o AC Milan e só atrás da Juventus (32 %). No total de remates só perde para os rossoneri. Ainda em termos ofensivos, destaca-se por possuir o terceiro melhor ataque na prova com 37 golos, tantos quantos o líder AC Milan, e apenas atrás de Atalanta (40) e Inter (43). Em termos de total de ocasiões de golos criadas, com 183, fica atrás de AC Milan (216) e Inter (214).

Paulo Fonseca é um treinador cujas equipas gostam de ter bola e para isso a precisão do passe é importante. A Roma apresenta um acerto de 86 por cento, não muito longe de Nápoles e Juventus que líderam com 89 %. Já os seus jogadores colocam o conjunto romano no segundo lugar no total de dribles realizados - 377 contra 515 do Milan - e na percentagem de dribles bem sucedido 62% contra 64 % dos rossoneri.

Defensivamente, a Roma é também das mais eficazes na recuperação de bola na Serie A, ganhando 52 % dos duelos, registo apenas superado pela Juventus, com 53 %.

O sucesso da equipa e do bom trabalho de Paulo Fonseca mede-se ainda pelo rendimento individual de alguns jogadores, nomeadamente o arménio Mkhitaryan. Este jogador, que depois de trocar o Dortmund pelo Manchester United não conseguiu repetir o mesmo rendimento, quer nos red devils quer no Arsenal, conta esta época com oito golos e oito assistências e nas grandes ligas europeias, poucos conseguem ter maior e tão equilibrada participação em golos. Kane, do Tottenham, com 11 de cada na Premier League, destaca-se.

Na defesa, a revelação é o internacional olímpico brasileiro Roger Ibañez, cedido pela Atalanta onde apenas jogara 20 minutos, e que se tornou um dos esteios no centro da defesa giallorossa. Com 161 bolas recuperadas na Serie A, é o segundo neste ranking apenas atrás de Tomiyasu do Bolonha.