Rafael Ramos em polémica no Brasil: "Não fui, não sou e nunca serei racista"

Rafael Ramos em polémica no Brasil: "Não fui, não sou e nunca serei racista"
Redação

Jogador português do Corinthians acusado de racismo por Edenilson, do Internacional.

O futebolista português Rafael Ramos, do Corinthians, foi detido esta madrugada pela polícia de Porto Alegre, por alegados insultos racistas ao jogador do Internacional Edenilson, mas saiu sem liberdade após pagamento de uma fiança.

"O jogador foi preso por um crime de injúria racial, mas como pagou uma fiança vai responder por esse crime em liberdade. Se ele não pagasse essa fiança, seria levado para a prisão", informou aos jornalistas Carlos Butarelli, delegado da polícia federal de Porto Alegre, na sequência da queixa apresentada por Edenilson, que acusou o lateral luso de lhe chamar "macaco".

De acordo com a imprensa brasileira, foi o Corinthians, clube treinado pelo português Vítor Pereira, que pagou a fiança a Rafael Ramos, na ordem dos 10.000 reais (1.900 euros).

"Eu sei o que ouvi, realmente eu não reagi provavelmente da forma que deveria, pois foi a primeira vez que isso aconteceu comigo. Incomoda-me o facto de ficar chamando atenção de outra forma que não seja jogando futebol. Eu procurei o atleta para que ele assumisse e me pedisse desculpas. Afinal, todos erramos e temos direito de admitir, no meu modo de ver as coisas. Mas o mesmo continuou a dizer que eu havia entendido errado. Eu não entendi errado, procurei-o pelo respeito que tenho por alguns integrantes do Corinthians e para que ele pudesse ter uma chance de se redimir", escreveu o médio do Internacional nas redes sociais.

Rafael Ramos também recorreu ao Instagram para negar qualquer episódio racista, assegurando que o companheiro de profissão entendeu mal as palavras proferidas. "Há muito pouca coisa nas nossas vidas de que temos certezas absolutas. Esta é uma delas. Não fui, não sou e nunca serei racista", assegurou., depois de ter estado detido, tendo sido paga uma fiança de cerca de 1900 euros.

"Graças a Deus educaram-me com a plena consciência de que somos todos iguais nesta vida, com os mesmos direitos e os mesmos deveres. Por isso, com esta certeza, fui explicar-me ao meu colega de profissão. Sempre me pautei por uma postura correta em toda a minha carreira e não iria ser de outra forma agora. Que este caso tenha servido para que este tema seja novamente levantado e que possamos todos reafirmar: racismo não", termina.

O árbitro Bráulio da Silva Machado relatou o episódio no relatório do jogo. Menciona que Edenilson garante que foi ofendido com um "f... macaco". Já Rafael Ramos assegura que disse "f... caralho".