Quaresma abre o jogo, fala em desrespeito na Turquia e até lembra o FC Porto

Quaresma abre o jogo, fala em desrespeito na Turquia e até lembra o FC Porto

Internacional português saiu do Besiktas em choque com o presidente do clube.

O início da presente temporada marcou uma nova etapa na carreira recheada de Ricardo Quaresma. Após quatro temporadas no Besiktas, o extremo português deixou o clube de Istambul de costas voltadas com o presidente Fikret Orman e assinou pelo Kasimpasa, outro emblema turco. Algo que, segundo o próprio acabou por ir contra aquilo que tinha delineado.

"Sempre disse que na Turquia só jogava pelo Besiktas", começou por clarificar o internacional luso. "Tive de sair porque o presidente assim decidiu. Penso que a maneira como me mandaram embora foi desrespeitosa. Não tive hipótese de me despedir dos adeptos do Besiktas, dos companheiros de equipa e dos funcionários, pessoas por quem sinto grande admiração. Se há alguém a quem devo estar grato, é aos adeptos do Besiktas, que me apoiaram sempre, mesmo nos momentos maus", acrescentou Quaresma, de 35 anos, que até colocou o emblema de Istambul no mesmo patamar do FC Porto:

"Infelizmente, o presidente do Besiktas não me queria lá. Mesmo depois de sair, não seria fácil jogar no Galatasaray ou no Fenerbahçe, porque amo o Besiktas e os adeptos. Sempre disse que o FC Porto e o Besiktas são as duas equipas mais importantes na minha carreira e estarão sempre no meu coração", rematou, em entrevista ao canal BeIN Sports.