Pedro Neto e um lugar na Seleção Nacional: "Tive de cantar, penso que foi uma música do Rui Veloso"

Pedro Neto e um lugar na Seleção Nacional: "Tive de cantar, penso que foi uma música do Rui Veloso"
António Pires

Tópicos

Pedro Neto teve estreia de sonho pela Seleção A, marcando um golo a Andorra. Confiante, espera receber mais oportunidades do selecionador Fernando Santos no futuro

Aos 20 anos, Pedro Neto concretizou a ambição de menino de representar a Seleção principal de Portugal, algo que jamais esquecerá.

Como foi a estreia na Seleção A, num jogo em que até marcou?

-Foi um sonho, estrear-me e marcar é o concretizar de um sonho de criança. Vai para sempre ficar marcado na minha carreira. Foi um momento muito especial.

Antes de chegar à Seleção A já contava com o percurso importante nas equipas jovens, nomeadamente nos Sub-21, que este ano se qualificaram para o Europeu. Como avalia esse apuramento, onde marcou dois golos, um deles de belo efeito?

-Temos uma seleção muito forte, mas também fomos capazes de tornar fácil o apuramento. O Rui Jorge é um grande treinador e ajudou-nos muito nesta caminhada, marcámos muitos golos e se não estou em erro só sofremos uma derrota. Pessoalmente, esse golo que marquei com a Noruega foi de facto belo, numa jogada individual.

Face à pandemia, em 2021 jogam-se dois Europeus e o dos Sub-21 até será disputado em dois períodos: fase de grupos em março e eliminatórias em junho, antes do Euro"2020. Que expectativa tem, jogar uma das provas, as duas?

-Faço o meu trabalho, quero ir à Seleção A, já fui uma vez, é um desejo de todos os futebolistas. Mas isso compete a quem tem de decidir, nomeadamente aos selecionadores Fernando Santos e Rui Jorge. Vamos ver o que vai suceder.

Mas gostaria de ajudar na primeira fase do Europeu Sub-21, o que não invalidaria a presença no Euro"2020?

-Claro que sim. Se desse para jogar as duas provas gostaria muito. Quero sempre ajudar as nossas seleções, mas são os selecionadores que vão decidir.

Portugal tem atualmente muitas e boas soluções para o ataque. Há alguns nomes, à partida, intocáveis, casos de Cristiano Ronaldo, Bernardo Silva, João Félix, Diogo Jota... Depois há um conjunto grande de jogadores a lutar por um lugar na convocatória final, onde podemos incluir o Pedro Neto, o seu colega Podence, Trincão, Gonçalo Guedes, etc. Como olha para essa luta?

-É uma luta saudável que nos obriga a melhorar, a lutar por um lugar. Temos muita qualidade atualmente, felizmente, o que é bom para Portugal, é saudável haver essa luta.

Voltando atrás à estreia contra Andorra, recebeu algum tipo de indicação especial de Fernando Santos antes de entrar em campo?

-O que me disse foi para fazer o que faço no meu clube, porque foi isso que levou à minha chamada. Foi o que fiz, joguei o meu futebol como procuro fazer sempre.

E foi "vítima" de algum tipo de praxe por parte dos seus colegas?

-Todos os que se estreiam na Seleção têm de cantar uma musiquinha e por isso tive de cantar, penso que foi uma música do Rui Veloso. Foi mais difícil cantar para todos eles ao jantar do que jogar a minha primeira partida pela Seleção A.