Paulo Fonseca em Itália: o supermercado e o papel de olheiro

Paulo Fonseca em Itália: o supermercado e o papel de olheiro

Treinador da Roma mostra-se seguro em Itália, o país com mais vítimas mortais devido à Covid-19.

A cumprir a primeira temporada no comando técnico da Roma, Paulo Fonseca mostra-se feliz em Itália e vincou que regressar a Portugal não esteve no horizonte, perante a pandemia da Covid-19 que abala aquele país.

"Nunca foi opção voltar para Portugal. Sinto-me seguro. A Roma proporciona-nos todas as condições, temos um atendimento bom e temos um dos melhores hospitais aqui ao lado. Só saio para o supermercado, saí uma vez nos últimos cinco dias. O Veríssimo com o qual trabalhei no estrela da Amadora foi o primeiro a falecer em Portugal. Tenho aproveitado para estar com o meu filhote, a minha mulher, mas vou lendo e aproveito para ver jogadores que possam interessar no futuro", afirmou o técnico, em declarações à SIC.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, já infetou perto de 450 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 20.000. Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde a declarar uma situação de pandemia.

NÃO SAIA DE CASA, LEIA O JOGO NO E-PAPER. CUIDE DE SI, CUIDE DE TODOS

O continente europeu, com cerca de 240.000 infetados, é aquele onde está a surgir atualmente o maior número de casos, e a Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais, com 7.503 mortos em 74.386 casos registados até esta quarta-feira.