"O Artur Quaresma não é da minha família, mas é irmão de todos nós"

"O Artur Quaresma não é da minha família, mas é irmão de todos nós"

Ricardo Quaresma contou a história de Artur Quaresma, antigo jogador português que recusou fazer a saudação nazi num jogo entre Portugal e Espanha. O 'Mustang' voltou às redes sociais na sequência da troca de galhardetes com André Ventura.

Ricardo Quaresma voltou à carga contra a discriminação social defendida pelo deputado André Ventura, com uma publicação na sua página pessoal de Facebook, que mais tarde apagou.

"Ontem como hoje, a família Quaresma sempre soube estar do lado certo da história. E nunca se vergou nem teve medo de dizer não ao racismo", escreveu o internacional português na sequência da troca de galhardetes com André Ventura.

Na publicação, Quaresma partilhou um conteúdo com a história de Artur Quaresma, que, a 16 de fevereiro de 1938, se recusou a fazer a saudação nazi, antes de um particular entre Portugal e a Espanha, jogo organizado para selar a amizade entre os dois regimes fascistas, o de Salazar e o de Franco.

Ao contrário do que tinha escrito o futebolista, Artur Quaresma não era tio-avô do 'Mustang' e nesta quinta-feira o avançado do Kasimpasa esclareceu a publicação que tinha feito.

O 'Harry Potter' refere que, mesmo não sendo da família, Artur Quaresma é uma "inspiração", um "exemplo de resistência" e um "irmão de todos nós".

Leia a publicação na íntegra:

"Por onde passou deu muitas alegrias aos clubes e aos adeptos e foi treinador de alguns clubes como o Belenenses, o Farense, o Espinho, o Barreirense, entre outros. No dia 16 de Fevereiro de 1938, num ato de coragem, Artur Quaresma recusou fazer a saudação nazi num jogo entre Portugal e Espanha que tinha sido combinado entre Franco e Salazar.

O jogador ficou com as mãos atrás das costas e no final do jogo foi detido pela PVDE, a antecessora da PIDE. Durante duas semanas foi interrogado até ter sido colocado em liberdade.

Embora a Wikipédia e várias publicações de órgãos de comunicação social, desde há vários anos, digam que ele é meu tio-avô a verdade é que não é. Nós ciganos temos famílias grandes e o fato de existir na família um familiar, também ele jogador, na mesma altura do Artur Quaresma gerou a dúvida que ontem esclarecemos em família.

Não é meu familiar mas é de certa forma meu irmão pela forma como tomou uma posição pública contra aquilo em que não acreditava e esteve do lado certo da história. Deve também ser um exemplo para todos os que preferem calar em vez de tomar uma posição pública contra aquilo em que não acreditam.

Não é meu familiar mas é uma inspiração para mim e julgo que deve ser para todos nós. Um homem de família que muito deu ao futebol e um exemplo de resistência.

Diz o seu bisneto que o Artur Quaresma era um homem divertido, que mesmo nos maus momentos conseguia encontrar a alegria e a piada na vida. E que era um romântico sempre com um carinho bonito para que os que o rodeavam.

O Artur Quaresma não é da minha família mas é irmão de todos nós. Agradecimentos ao bisneto Pedro Miguel e a toda a família do Artur Quaresma pelas fotos e por ajudar aos esclarecimentos. Que o Artur continue vivo nos nossos corações."