"Nunca durmo a pensar no valor que custei. Olho, sim, para as críticas"

"Nunca durmo a pensar no valor que custei. Olho, sim, para as críticas"

Médio português explica a saída para o Lille depois do "bloqueio emocional" no Bayern

Foi o jogador mais caro da história do Bayern e do Lille e é por aí que Renato Sanches começa a entrevista ao canal 11, da Federação Portuguesa de Futebol.

"Nunca durmo a pensar no valor que custei. Olho, sim, para as críticas que me fazem. Estou numa boa fase, tive oportunidades e sinto que sou um jogador mais completo, com mais calma com bola. Falho menos passes e estou mais concentrado. O estado mental é tudo e precisei de avançar. Com um bloqueio emocional não o conseguia. Tive de aprender com os dois anos anteriores para seguir em frente", comenta, lembrando as três épocas pelos bávaros, em que nunca foi opção regular.

"Com 18 anos tinha de jogar para ganhar respeito. As coisas não aconteceram como previa. Havia colegas com oito anos de clube. Não saí do Benfica pelo dinheiro, mas porque me sentia preparado. Ninguém do futebol me apoiou na fase difícil, só amigos e família", acrescentou.

Renato quer jogar e voltar à Seleção e ajudar o Lille a atacar e a defender: "Tive outras propostas, mas o Lille tem muitos jovens. Vai à Liga dos Campeões e há bom ambiente. Fica mais fácil. Ainda sonho ser um dos melhores centrocampistas do mundo."